Estudo do evangelho de João 8

No capítulo 8 do Evangelho de João temos alguns textos muito famosos e que chamam a nossa atenção pela quantidade de ensinamentos e reflexões que podemos fazer.

Essa é uma característica do Novo Testamento: podemos extrair muito de cada um dos capítulos. É lindo ler o texto várias vezes e ter novos entendimentos cada vez que lemos.

Aqui neste capítulo existem dois assuntos principais:

  • A mulher pêga em adultério
  • A conversa de Jesus com os fariseus
  • Jesus afirma o segundo “Eu sou”: A luz do mundo

A mulher pêga em adultério

“E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra. Quando ouviram isto, redargüidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.”

João 8:7-9

Eu já falei diversas vezes sobre essa passagem. Ela é linda demais.

Aqui entendemos que Jesus não olha para o nosso passado, para os nossos erros, para quem somos e nem julga da maneira como o mundo julga.

Enquanto o mundo pode pensar que você vale menos, que você é uma pessoa completamente errada e que nunca vai dar certo, Jesus te olha com outros olhos. Naquela situação a mulher, uma pessoa que, apenas por ser mulher, já era tida como menor naquela sociedade, é encontrada adulterando.

Eu imagino que ela tenha se sentido envergonhada, com medo, talvez querendo fugir.

Jesus não enxerga nela os erros, não olha para ela com um olhar de julgamento, mas com olhos de amor. Com isso ele consegue levar os acusadores à uma reflexão importante: será que vocês são melhores que ela?

Todavia, o principal desta mensagem ainda estava por vir:

“E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou? E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.”

João 8:10,11

Após libertar a mulher da morte (veja como isso se relaciona com a nossa história), ele diz para ela que não a acusaria (Ele nos defende perante nosso acusador) e então pede que ela não peque mais (Ele nos oferece nova vida).

A história dessa mulher tem muitas semelhanças com a nossa. A mesma coisa Jesus diz para nós que já andamos com Ele: vá, e não peques mais.

Eu sou a luz do mundo

“Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.”

João 8:12

Aqui no capítulo 8 temos a segunda declaração “Eu sou” de Jesus. Nela Jesus fala que Ele é a luz do mundo e quem o segue não andará em trevas.

Vemos aqui a afirmação que diz que Jesus nos livra do pecado e tem para nós uma vida livre do poder das trevas.

Na mesma conversa com o povo, Jesus afirma:

“Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém; como dizes tu: Sereis livres? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado.”

João 8:33,34

Ao mesmo tempo em que afirma que Ele é a luz do mundo, afirma também que quem comete pecado se torna escravo daquele pecado.

Só podemos nos livrar do poder escravizador do pecado através de Jesus. As trevas vão tentar nos reter, vão tentar nos dominar, mas a luz de Jesus é mais forte. O sacrifício de Cristo pagou o preço final para nos livrar eternamente.

Para isso, é importante entendermos outra parte do que Jesus diz:

“Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: Se vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente sereis meus discípulos; E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.”

João 8:31,32

É necessário que nós permaneçamos na Palavra do Senhor, firmes e constantes. Se não permanecemos na Palavra do Senhor, não seremos livres, voltaremos a andar em trevas e escravizados pelo pecado.

Permaneça firme, fiel em todo o tempo e você nunca mais será uma pessoa escravizada pelo pecado.

Outros textos para você refletir sobre este capítulo

Eu sempre tive grande admiração pelo capítulo 8 do evangelho de João, isso me levou a escrever sobre este capítulo diversas vezes. Seguem alguns textos para você ler e refletir um pouco mais:

Deixe um comentário