Estudo de Atos 18

No capítulo 18 de atos, vemos o término da segunda viagem missionária de Paulo e o início da terceira. Aqui encontraremos o apóstolo passando por 2 outras cidades e retornando para Jerusalém e Antioquia e, após isso, iniciando sua terceira viagem.

Neste capítulo, econtramos os seguintes acontecimentos:

  • Paulo encontra com Priscila e Áquila em Corinto (1 a 4)
  • Silas e Timóteo se reencontram com Paulo (5 e 6)
  • Paulo prega por um ano e meio em Corinto (7 a 11)
  • Os judeus tentam incriminar Paulo perante Gálio (12 a 17)
  • Paulo deixa Priscila e Áquila em Éfeso (18 a 21)
  • Paulo passa por Jerusalém, Antioquia, Galácia e Frígia (22 e 23)
  • Apolo em Éfeso (24 a 28)

Vamos estudar alguns destes eventos

Priscila e Áquila

Quando sai de Atenas e chega em Corinto, Paulo se encontra com Priscila e Áquila:

“Depois disto, partiu Paulo de Atenas e chegou a Corinto. E, achando um certo judeu por nome Áquila, natural do Ponto, que havia pouco tinha vindo da Itália, e Priscila, sua mulher (pois Cláudio tinha mandado que todos os judeus saíssem de Roma), se ajuntou com eles, e, como era do mesmo ofício, ficou com eles, e trabalhava; pois tinham por ofício fazer tendas.”

Atos 18:1-3

Paulo fica com esse casal por muito tempo ali em Corinto, pregando aos judeus que aceitaram e aos gentios.

Quando Paulo sai de Corinto e vai para Éfeso, leva Priscila e Áquila com ele. Ao sair de Éfeso vemos, no versículo 19, que Paulo os deixa ali. Na minha opinião, a o propósito deles terem ficado era justamente para que Paulo tivesse alguém de confiança em Éfeso, assim como ele o fez em diversas outras cidades.

Vemos, mais para frente neste capítulo, que este casal acaba se tornando uma referência muito importante na igreja em Éfeso. Um indicativo disso é que, quando Apolo chega em Éfeso, não sabendo sobre o batismo no Espírito Santo, quem os instrui no caminho são os dois:

“E chegou a Éfeso um certo judeu chamado Apolo, natural de Alexandria, varão eloquente e poderoso nas Escrituras. Este era instruído no caminho do Senhor; e, fervoroso de espírito, falava e ensinava diligentemente as coisas do Senhor, conhecendo somente o batismo de João. Ele começou a falar ousadamente na sinagoga. Quando o ouviram Priscila e Áquila, o levaram consigo e lhe declararam mais pontualmente o caminho de Deus.”

Atos 18:24-26

Ou seja, além de terem sido um suporte importante para Paulo em Corinto, são uma referência e também um casal importante na vida de Apolo em Éfeso. Estamos falando aqui deles terem participado ativamente daqueles que, talvez, fossem os dois mais eloquentes pregadores que encontramos no livro de Atos.

O que vejo aqui é que, às vezes, nós subestimamos o trabalho daquelas pessoas que estão dando suporte para os mais eloquentes, para aqueles que aparecem mais, que estão em maior evidência. O trabalho de suportar estes grandes pregadores é tão importante quanto o próprio trabalho da pessoa que está pregando.

Em algumas cartas, Paulo faz questão de saudar este casal que, provavelmente, acabou se tornando seus amigos. Ele o faz na carta aos Romanos (16:3) e na segunda carta que envia para Timóteo (4:19). Na primeira carta aos Coríntios (16:19), ele diz que Priscila, Áquila e a igreja que se reunia na casa deles estavam mandando saudações para a igreja de Corinto. Ou seja, além do importante suporte que deram para Paulo e Apolo, continuaram levando o evangelho para as pessoas da igreja local e os recebendo em sua casa. Que casal abençoado!!!

O reencontro da equipe

Vimos, no capítulo 17, que quando Paulo vai para Atenas, deixa Silas e Timóteo em Bereia. Quando Paulo está em Corinto, a equipe se reencontra e lemos o seguinte:

“E todos os sábados disputava na sinagoga e convencia a judeus e gregos. Quando Silas e Timóteo desceram da Macedônia, foi Paulo impulsionado pela palavra, testificando aos judeus que Jesus era o Cristo. Mas, resistindo e blasfemando eles, sacudiu as vestes e disse-lhes: O vosso sangue seja sobre a vossa cabeça; eu estou limpo e, desde agora, parto para os gentios.”

Atos 18:4-6

Note que interessante que, quando a equipe reencontra Paulo, ele é “impulsionado pela Palavra”. O texto parece indicar inclusive uma relação de causa e efeito aqui. Logo no verso seguinte vemos que Paulo começou a encontrar resistência por parte dos judeus.

Para mim é quase como se Deus estivesse preparando aquele reencontro para que Paulo fosse ajudado no momento de resistência que estava por vir. Poucos versículos para frente vemos:

“disse o Senhor, em visão, a Paulo: Não temas, mas fala e não te cales; porque eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade. E ficou ali um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus.”

Atos 18:9-11

Eu creio que Deus vai preparar pessoas para estarem ao nosso lado nos momentos que mais precisarmos. Quando estivermos nas situações difíceis das nossas vidas, quando encontrarmos resistência, Deus irá direcionar pessoas para nos ajudar. Creio que Ele vai falar conosco com essa passagem, nos lembrando que não estamos sozinhos, que podemos e devemos perseverar, pois Ele está conosco.

Os judeus tentam incrimar Paulo

Enquanto ainda estava em Corinto, assim como em tantos outros lugares, Paulo começa a ser perseguido pelos judeus:

“Mas, sendo Gálio procônsul da Acaia, levantaram-se os judeus concordemente contra Paulo e o levaram ao tribunal, dizendo: Este persuade os homens a servir a Deus contra a lei. E, querendo Paulo abrir a boca, disse Gálio aos judeus: Se houvesse, ó judeus, algum agravo ou crime enorme, com razão vos sofreria; mas, se a questão é de palavras, e de nomes, e da lei que entre vós há, vede-o vós mesmos; porque eu não quero ser juiz dessas coisas! E expulsou-os do tribunal.”

Atos 18:12-16

Aqui encontarmos Gálio e a região da Acaia. Gálio foi um procônsul, assim como vimos que era Sérgio Paulo em Atos 13. Para entendermos melhor o que era a região da Acaia, deixo com vocês um mapa das províncias Romanas. Este mapa é de um momento posterior a esse dos eventos de Atos, mas é o suficiente para entendermos:

Império Romano em 117 d.C. Imagem de Wikipédia

Note que a província de Acaia era justamente a província que continha a cidade de Corinto e também Atenas, uma das mais importantes cidades do império Romano.

Quando então os judeus levam o caso de Paulo para Gálio, a indiferença dele em relação ao assunto é facilmente explicada: ele não estava preocupado nem queria se envolver com questões menores de palavras referentes a um povo que era dominados pelos Romanos. Além de, provavalmente, ter problemas maiores sobre os quais pensar, ele também já deveria estar acostumado com esse tipo de questão entre os gregos de Atenas.

Vemos que após serem expulsos do tribunal os judeus ferem Sóstenes, que era o principal da sinagoga ali de Corinto. Não temos certeza do motivo dele ter sido espancado. Tudo indica que isso tenha acontecido por ele ser um cristão (1 Co 1:1).

Desafio do capítulo

Neste capítulo falamos sobre como Priscila e Áquila ajudaram Paulo e Apolo em seus ministérios. Que outras pessoas você encontra na Palavra auxiliando de maneira mais indireta o ministério de Jesus ou dos Apóstolos?

Deixe um comentário