Estudo de Atos 19

Atos 19 conta a história de Paulo em Éfeso quando estava em sua terceira viagem missionária. É um capítulo com vários eventos interessantes, que podem nos ensinar muito.

Neste capítulo veremos os seguintes acontecimentos:

  • Paulo prega sobre o Espírito Santo em Éfeso (1 a 7)
  • Paulo prega na sinagoga por três meses (8)
  • Paulo prega por 2 anos em Éfeso, fazendo muitos sinais (9 a 12)
  • Os filhos de Ceva (13 a 17)
  • O arrependimento da cidade de Éfeso (18 a 20)
  • Paulo demonstra a intenção de ir para Roma (21 e 22)
  • A confusão em Éfeso (23 a 41)

Vamos estudar alguns deles mais profundamente.

Paulo fala sobre o Espírito Santo

Logo no começo do capítulo, notamos que Paulo não perdia qualquer oportunidade que tivesse para ministrar para as pessoas. Nessa passagem ele encontra um grupo pequeno, de apenas 12 cristãos, que ainda não haviam recebido o Espírito Santo.

“disse-lhes: Recebestes vós já o Espírito Santo quando crestes? E eles disseram-lhe: Nós nem ainda ouvimos que haja Espírito Santo.”

Atos 19:2

Com isso encontramos na vida de Paulo mais um, dentre vários, ensinamentos sobre evangelismo. Já falamos sobre como ele sabia adaptar o discurso, como estava constantemente no templo e sobre a sua disposição em padecer o que fosse necessário por amor à obra. Falamos também sobre como ele dependia do Espírito Santo e da seriedade com que tratava a cultura local. Agora vemos também que ele não perdia nenhuma oportunidade de levar a Palavra.

Nós devemos fazer a mesma coisa: aproveitar toda a oportunidade que temos para falar de Cristo.

Paulo fica dois anos em Éfeso

Aqui no capítulo 19 também vemos que Paulo permanece na cidade de Éfeso por mais de dois anos:

“E durou isto por espaço de dois anos, de tal maneira que todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, tanto judeus como gregos.”

Atos 19:10

Um ponto interessante para notar neste versículo 10 é que Paulo não se limitou a alcançar apenas a cidade de Éfeso, mas fez com que a Palavra chegasse a toda a província da Ásia. Vale lembrar que no capítulo 18 mostramos como as províncias Romanas estavam organizadas e conseguimos ter um entendimento mais amplo da extensão disso.

Éfeso era uma cidade muito importante por vários motivos. Um deles é o fato de ser uma cidade portuária, por onde muito do comércio local passava. Dizem os historiadores que, na época de Paulo, a cidade tinha algo entre quatrocentos e seiscentos mil habitantes.

Era uma cidade controlada por Roma, mas que tinha a liberdade para seus habitantes tanto judeus como não judeus. A maior parte dos habitantes prestavam culto à uma deusa que era chamada por dois nomes diferentes: Ártemis ou Diana. Vamos encontrar os dois nomes sendo utilizados na literatura, ambos se referindo à mesma deusa. Por ser uma cidade extremamente idólatra, vemos que muitos eram adeptos das artes mágicas e coisas do tipo (v18).

No tempo em que ficou lá, Paulo fez muitos sinais, até mesmo ao ponto de chamar a atenção de alguns dos exorcistas locais, que tentaram usar o nome de Jesus sem conhecê-lo.

“E alguns dos exorcistas judeus, ambulantes, tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega.”

Atos 19:13

Ao fazerem isso, o espírito maligno reconhece a autoridade de Jesus, mas não a deles. Com isso, eles acabam até mesmo apanhando da pessoa que estava possuída e passam vergonha. O que aprendemos aqui é que nosso relacionamento com Cristo deve ser no nível pessoal, e nunca delegado a uma outra pessoa.

Isso é algo extremamente importante e relevante para nossos tempos: o nosso relacionamento com Cristo precisa ser pessoas, não podemos transferir a responsabilidade de nos relacionarmos com o Senhor para outra pessoa, para um lugar ou para uma religião. O Espírito Santo habita em nós, a responsabilidade de mantes esse relacionamento é nossa.

Coincidência ou não, na carta à igreja de Éfeso que encontramos em Apocalipse a crítica do Senhor para esta igreja está relacionada a isso: eles haviam deixado o primeiro amor e haviam ficado apenas com as obras. O relacionamento havia se esfriado.

A cidade se arrepende

Após tanto tempo na cidade, vemos que a cidade passar por um grande processo de arrependimento:

“Muitos dos que tinham crido vinham, confessando e publicando os seus feitos. Também muitos dos que seguiam artes mágicas trouxeram os seus livros e os queimaram na presença de todos, e, feita a conta do seu preço, acharam que montava a cinquenta mil peças de prata. Assim, a palavra do Senhor crescia poderosamente e prevalecia.”

Atos 19:18-20

É interessante notar aqui que as pessoas confessavam publicamente os pecados que haviam cometido. Você consegue imaginar isso acontecendo em nossos dias? Um momento de tão grande arrependimento coletivo que as pessoas abrem a pior parte de suas vidas, verdadeiramente arrependidas do que fizeram?

Além disso as pessoas também trazem seus livros relacionados às artes mágicas que tinham, algo que somava uma grande quantia de dinheiro, para serem queimados na presença de todos. Vale lembrar que, naquela época, ter um livro era algo completamente diferente do que é hoje. Era necessário que alguém fizesse a transcrição completa do livro, de maneira manual, para que alguém pudesse ser dona de uma cópia.

Ao fazerem isso, as pessoas estão claramente declarando que o seu passado não era mais importante do que Cristo, que o dinheiro despendido para a obtenção daqueles bens também não era tão importante. Isso é extremamente relevante para o que vemos em seguida.

A confusão em Éfeso

Muito diferente do desapego financeiro que encontramos nos efésios que se converteram, encontramos a situação de algumas pessoas:

“Porque um certo ourives da prata, por nome Demétrio, que fazia, de prata, nichos de Diana, dava não pouco lucro aos artífices, aos quais, havendo-os ajuntado com os oficiais de obras semelhantes, disse: Varões, vós bem sabeis que deste ofício temos a nossa prosperidade; e bem vedes e ouvis que não só em Éfeso, mas até quase em toda a Ásia, este Paulo tem convencido e afastado uma grande multidão, dizendo que não são deuses os que se fazem com as mãos. Não somente há o perigo de que a nossa profissão caia em descrédito, mas também de que o próprio templo da grande deusa Diana seja estimado em nada, vindo a majestade daquela que toda a Ásia e o mundo veneram a ser destruída.”

Atos 19:24-27

Note como, a primeira preocupação destas pessoas era que “a profissão caísse em descrédito”. Também vemos que essa profissão deles, de fazer obras de prata da deusa Ártemis, lhes dava grande lucro. Ou seja, estas pessoas estavam com medo de perderem o dinheiro que ganhavam com o trabalho que faziam.

Quando o amor ao dinheiro persiste, é impossível que o amor a Cristo exista. Vemos isso em várias outras passagens:

“Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores. Mas tu, ó homem de Deus, foge destas coisas e segue a justiça, a piedade, a fé, o amor, a paciência, a mansidão.”

1 Timóteo 6:10,11

O amor ao dinheiro fez com que aqueles homens arrumassem confusão tal que alguns passaram a temer por suas vidas. Ao perceber o que estava acontecendo, o escrivão da cidade acalma o povo, lhes mostrando que eles poderiam até mesmo ser acusados por Roma de sedição, o que faria com que a nação dominante pudesse usar a força do exército para reaolver a situação e lhes impusesse restrições que, até o momento, eles não tinham.

Eles ficaram tão cegos por perceberem o risco de perder a fonte de renda, que não calcularam o peso de suas atitudes.

Esse é um cuidado que todos devemos ter: o amor ao dinheiro nao pode estar em nossas vidas. Precisamos, constantemente, sermos livres desse mal e servir a Cristo de maneira livre.

Desafio do capítulo

Neste capítulo o desafio é muito simples: quais são as outras passagens que você se lembra que falam sobre problemas relacionados ao amor ao dinheiro. A bíblia está recheada delas!!!

4 comentários em “Estudo de Atos 19”

  1. Meu irmão estudo muito simples bem cingelo, uma ótima compreensão do texto, que o Senhor Jesus nos abençoe.

    Responder

Deixe um comentário