Estudo de Atos 13

Neste estudo de Atos 13, veremos a primeira viagem missionária de Paulo e o resultado dela. O capítulo nos traz os seguintes assuntos:

  • Barnabé, Simeão, Lúcio e Saulo são separados para a obra (1 a 4)
  • Elimas, o encantador (5 a 12)
  • Saulo passa a se chamar Paulo (9)
  • A pregação de Paulo na sinagoga (13 a 41)
  • A cidade ouve a Paulo (42 a 45)
  • Paulo e Barnabé pregam para os gentios (46 a 49)
  • Perseguição contra Paulo e Barnabé (50 a 52)

São vários lugares por onde Paulo passa, vamos estudar alguns eventos deste capítulo e, ao final, deixo um desafio para vocês.

Separados para a obra

“E, servindo eles ao Senhor e jejuando, disse o Espírito Santo: Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado. Então, jejuando, e orando, e pondo sobre eles as mãos, os despediram.”

Atos 13:2,3

Após um ano pregando e discipulando em Antioquia, o Espírito Santo pede que Saulo e Barnabé fossem separados para uma outra obra. A obra consistia em sair dali da igreja em Antioquia e ir pregar para judeus de outros lugares.

Logo que saem de Antioquia, navegam até Chipre, onde percoreem toda a ilha pregrando a Palavra de Deus. Voltando ao continente, passam por Perge e várias outras cidades.

Vejo aqui um ponto interessante: eles estavam há um ano naquela igreja, cuidando das pessoas, ensinando e aprendendo com elas. Porém, para cumprir aquela obra, era necessário que saíssem daquele local, era necessário que eles deixassem de lado o conforto que haviam conquistado após aquele tempo, para irem para novos lugares.

Ao mesmo tempo, algumas pessoas ficaram por lá, cuidando do dia-a-dia daquela igreja de Antioquia.

Os dois chamados são importantes para a obra. Alguns de nós iremos trabalhar indo para fora, outros trabalharão cuidando da igreja que já está estabelecida. Ambos os trabalhos apresentam suas dificuldades e seus benefícios.

Elimas, o Encantador

“E, havendo atravessado a ilha até Pafos, acharam um certo judeu, mágico, falso profeta, chamado Barjesus, o qual estava com o procônsul Sérgio Paulo, varão prudente. Este, chamando a si Barnabé e Saulo, procurava muito ouvir a palavra de Deus. Mas resistia-lhes Elimas, o encantador (porque assim se interpreta o seu nome), procurando apartar da fé o procônsul. Todavia, Saulo, que também se chama Paulo, cheio do Espírito Santo e fixando os olhos nele, disse: Ó filho do diabo, cheio de todo o engano e de toda a malícia, inimigo de toda a justiça, não cessarás de perturbar os retos caminhos do Senhor? Eis aí, pois, agora, contra ti a mão do Senhor, e ficarás cego, sem ver o sol por algum tempo. No mesmo instante, a escuridão e as trevas caíram sobre ele, e, andando à roda, buscava a quem o guiasse pela mão.”

Atos 13:6-11

Aqui Saulo e Barnabé já tinham cruzado a ilha de Chipre e chagavam a Pafos. Lá encontram Elimas, um judeu que era um falso profeta e também Sérgio Paulo, procônsul. Um procônsul era, basicamente, uma pessoa que atuava como governadora de uma província romana.

Enquanto Saulo, que aqui passa a ser tratado como Paulo, provavelmente pela facilidade de se falar Paulo naquela região, e Barnabé tentam pregar as boas novas para o procônsul, vemos Elimas tentando atrapalhá-los. Paulo então, cheio do Espírito, impede que ele continue atrapalhando.

O que aprendo aqui é que algumas pessoas podem resistir à fé, isso não é um problema. Porém não podemos deixar que pessoas impeçam outras de receberem a fé. Se a pessoa não quer receber a Palavra, isso é um problema da pessoa. O problema passa a ser nosso quando esta pessoa tenta impedir outras de receberem a pregação.

Não estou dizendo que devemos fazer a mesma coisa que Paulo fez ou que devemos começar a brigar com as pessoas por aí. Estou apenas dizendo que devemos estar cheios do Espírito tanto para identificar estes casos, quanto para atuar se eles acontecerem.

João Marcos se separa de Paulo e Barnabé

Quando saem de Chipre e retornam para o continente, vemos qued João Marcos se separa de Paulo e de Barnabé.

“E, partindo de Pafos, Paulo e os que estavam com ele chegaram a Perge, da Panfília. Mas João, apartando-se deles, voltou para Jerusalém.”

Atos 13:13

A Palavra não deixa claro o motivo desta separação, porém, isto se torna a razão da desavença de Paulo com Barnabé, que faz com que os dois se separem em Atos 15:

“Alguns dias depois, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar nossos irmãos por todas as cidades em que já anunciamos a palavra do Senhor, para ver como estão. E Barnabé aconselhava que tomassem consigo a João, chamado Marcos. Mas a Paulo parecia razoável que não tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os acompanhou naquela obra. E tal contenda houve entre eles, que se apartaram um do outro. Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. E Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu, encomendado pelos irmãos à graça de Deus. E passou pela Síria e Cilícia, confirmando as igrejas.”

Atos 15:36-41

O que vejo aqui é que nem todas as pessoas vão nos acompanhar até o fim. Isso não significa que elas se desviaram, que devemos nos afastar delas ou que não serão mais nossas amigas. Significa apenas que cada pessoa está seguindo um caminho diferente, muitas vezes, algo que é da vontade de Deus.

Outra coisa que aprendo é que não precisamos concordar com tudo uns com os outros. Está tudo bem se tivermos opiniões diferentes, podemos continuar nos amando da mesma maneira. Hoje em dia percebo que, cada vez mais, nos falta empatia com as pessoas que têm opiniões diferentes das nossas. Devemos nos lembrar sempre que devemos amar as pessoas como a nós mesmos, independente de suas opiniões.

O discurso de Paulo

Chegando em Antioquia da Pisídia (não confundir com a Antioquia que Paulo e Barnabé ficaram por um ano), Paulo faz um longo discurso no templo, passando por várias passagens do Velho Testamento. No discurso encontramos o seguinte:

“E nós vos anunciamos que a promessa que foi feita aos pais, Deus a cumpriu a nós, seus filhos, ressuscitando a Jesus,”

Atos 13:32

Paulo está claramente falando aqui aos judeus, dentro do templo, para aqueles que eram da lei. Estava falando para as pessoas que Deus havia separado para serem o Seu povo. Aqui o apóstolo está informando que a promessa havia se cumprido, o Cristo havia vindo, vivido, morrido pelos nossos pecados e ressuscitado.

Após isso deixa o discurso ainda melhor, dizendo:

“Pelo que também em outro Salmo diz: Não permitirás que o teu Santo veja corrupção. Porque, na verdade, tendo Davi, no seu tempo, servido conforme a vontade de Deus, dormiu, e foi posto junto de seus pais, e viu a corrupção. Mas aquele a quem Deus ressuscitou nenhuma corrupção viu.”

Atos 13:35-37

Fazendo uma distinção clara entre Jesus e todo o restante dos patriarcas. Paulo estava apresentando, para aqueles judeus, Jesus, o filho unigênito de Deus, ressurreto dentre os mortos, para viver eternamente.

Paulo deixa claro a mudança que havia acontecido:

“Seja-vos, pois, notório, varões irmãos, que por este se vos anuncia a remissão dos pecados.
E de tudo o que, pela lei de Moisés, não pudestes ser”

Atos 13:38,39

Jesus havia trazido a remissão dos pecados, algo que era impossível de se conseguir de maneira definitiva, pela lei.

Esta era a boa nova para os judeus, era isso que eles precisavam entender. Porém, como vemos no verso 45, eles não aceitam isso.

Novamente: algumas pessoas não vão aceitar a nossa pregação. Mesmo aqueles que parecem mais precisar dessa revelação podem não aceitar o que estamos levando.

A referência para Isaías

Paulo então continua trazendo referências da lei e dos profetas, desta vez citando Isaías 49:

“Mas Paulo e Barnabé, usando de ousadia, disseram: Era mister que a vós se vos pregasse primeiro a palavra de Deus; mas, visto que a rejeitais, e vos não julgais dignos da vida eterna, eis que nos voltamos para os gentios. Porque o Senhor assim no-lo mandou: Eu te pus para luz dos gentios, para que sejas de salvação até aos confins da terra.”

Atos 13:46,47

Aqui ele afirma que estava deixando de pregar para os judeus e indo para os gentios, para as pessoas que não eram as filhas da promessa. Aqui a referência é clara para Isaías:

“Disse mais: Pouco é que sejas o meu servo, para restaurares as tribos de Jacó e tornares a trazer os guardados de Israel; também te dei para luz dos gentios, para seres a minha salvação até à extremidade da terra.”

Isaías 49:6

Ao mesmo tempo também encontramos um paralelo com algumas passagens do Novo Testamento, principalmente algumas parábolas de Cristo, como a parábola das bodas.

Desafio do capítulo

Neste capítulo, o desafio é que você encontre outras duas referências que Paulo faz e coloque aqui nos comentários os textos que você localizou. Se estiver muito difícil de encontrar, a dica é usar uma bíblia que tenha referências cruzadas. Com uma bíblia destas, fica bem fácil de encontrar estes textos.

0 comentário em “Estudo de Atos 13”

  1. Pingback: Estudo de Atos 18 - JC na Veia

Deixe um comentário