Estudo de Atos 17

Em Atos 17 continuamos vendo a segunda viagem missionária de Paulo, como começamos a ver no capítulo 16. Neste capítulo Paulo passa por três cidades e sofre grandes perseguiçoẽs.

O que veremos neste capítulo:

  • Paulo chega em Tessalônica (1)
  • Muitos crêem em Cristo (2 a 4)
  • Paulo e Silas são perseguidos pelos judeus (5 a 9)
  • Paulo e Silas em Bereia (10 a 12)
  • Os judeus de Tessalônica continuam perseguindo Paulo (13 e 14)
  • Paulo começa a pregar em Atenas (15 a 21)
  • O discurso de Paulo (22 a 31)
  • Alguns Atenienses crêem (32 a 34)

Mapa da segunda viagem

Como nesta segunda viagem, Paulo também passa por muitas cidades, vale olharmos o mapa do trajeto feito por ele:

Neste capítulo 17, encontramos Paulo em Anfípolis, Beréia e Atenas. No capítulo 16, ele saiu de Antioquia e foi até Filipos, passando por várias cidades, como podemos ver acima.

As mulheres de Atos 16 e 17

Um ponto que resolvi não comentar no capítulo 16, mas que merece atenção especial aqui no capítulo 17, é o número de mulheres importantes que aparecem na jornada de disseminação da Palavra:

  • Lídia, no capítulo 16 abre a sua casa para Paulo e seus companheiros, estabelecendo lá uma das bases da igreja de Filipos
  • Em Tessalônica, lemos: “E alguns deles creram e ajuntaram-se com Paulo e Silas; e também uma grande multidão de gregos religiosos e não poucas mulheres distintas.” (Atos 17:4)
  • Em Beréia: “De sorte que creram muitos deles, e também mulheres gregas da classe nobre, e não poucos varões.” (Atos 17:12)
  • Em Atenas: “Todavia, chegando alguns varões a ele, creram: entre os quais estava Dionísio, o areopagita, e uma mulher por nome Dâmaris, e, com eles, outros.” (Atos 17:34)

O que aprendo aqui é que, fora do mundo judeu, a mulher tinha muito mais valor e, no ministério de Paulo, foram ativas e participantes. O óbvio aqui é: as mulheres são imprescindíveis para a propagação do evangelho.

Paulo em Tessalônica

Ao sair de Filipos, Paulo e seu grupo passam por Anfípolis e chegam em Tessalônica.

“E, passando por Anfípolis e Apolônia, chegaram a Tessalônica, onde havia uma sinagoga de judeus. E Paulo, como tinha por costume, foi ter com eles e, por três sábados, disputou com eles sobre as Escrituras,”

Atos 17:1,2

É interessante notar que, durante suas viagens missionária, sempre que fosse possível, Paulo se estava no templo com os judeus. Fosse por costume, para ouvir e aprender ou por aproveitar a oportunidade para pregar, Paulo sempre estava no templo.

Aprendo aqui que nós devemos fazer o mesmo. Vejo, hoje em dia, muitas pessoas que não querem estar com a igreja nos momentos de adoração. Seja física ou virtualmente (afinal, estou escrevendo este estudo no meio de uma pandemia) entendo que nós devemos estar “no templo” ouvindo a Palavra e adorando em comunhão com os irmãos. Mesmo que seja virtualmente, é importante que estejamos em unidade. Paulo não perdia a oportunidade de ir para o templo.

Além disso, essa passagem por Tessalônica é importante pois vamos ler duas cartas de Paulo que são destinadas aos cristãos dessa cidade. Nestas cartas Paulo fala, dentre outros assuntos, sobre a volta de Cristo.

O povo de Bereia

Por conta da perseguição dos judeus, que estavam com inveja do crescimento da Palavra, Paulo e o grupo saem da cidade, em direção a Bereia:

“E logo os irmãos enviaram de noite Paulo e Silas a Bereia; e eles, chegando lá, foram à sinagoga dos judeus. Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.”

Atos 17:10,11

Acredito que muitas pessoas já ouviram sobre os Bereianos, que validavam nas escrituras tudo o que ouviam para terem certeza de que aquelas palavras eram verdadeiras. Nós devemos fazer a mesma coisa: não importa de quem estamos ouvindo, precisamos olhar para as escrituras e validar se aquilo é realmente verdade.

Infelizmente esse não é o comportamento comum, o que faz com muitas pessoas sejam facilmente levadas por doutrinas estranhas. Vale notar que Paulo não precisou escrever uma carta posterior para essa igreja. Talvez por que eles não precisassem, estavam seguros na fé, examinando cuidadosamente as escrituras.

Paulo em Atenas

Ao descobrirem que a Palavra estava sendo pregada em Bereia, os mesmos judeus de Tessalônica voltam a perseguir Paulo. Com isso, os discípulos enviam Paulo para Atenas. A ideia, conforme vemos na Palavra, era que Paulo esperasse a chegada de Silas e Timóteo:

“E os que acompanhavam Paulo o levaram até Atenas e, recebendo ordem para que Silas e Timóteo fossem ter com ele o mais depressa possível, partiram. E, enquanto Paulo os esperava em Atenas, o seu espírito se comovia em si mesmo, vendo a cidade tão entregue à idolatria. De sorte que disputava na sinagoga com os judeus e religiosos e, todos os dias, na praça, com os que se apresentavam.”

Atos 17:15-17

Porém Paulo olha para a situação de idolatria da cidade e não se contém. Ele sente a necessidade de mostrar para aquelas pessoas que existe um caminho diferente. Ele havia acabado de sair fugido de Bereia, estava sozinho em Atenas, mas não permite que isso lhe impeça e começa a falar para aquelas pessoas sobre o Deus verdadeiro.

O ponto aqui é que nós devemos nos incomodar com o pecado. Não podemos nos acomodar com a situação, com o pecado comum. Enquanto existirem pessoas que não se converteram aos caminhos do Senhor e vivem uma vida de pecados, precisaremos levar as boas novas.

Desafio do capítulo

O desafio deste estudo de Atos 17 é o seguinte: citar dois textos das cartas de Paulo aos Tessalonicenses que lhe chamam mais a atenção. Se você não se lembrar de nenhum texto, leia um capítulo de cada carta e selecione dois versículos que, durante a leitura, lhe chamaram a atenção.

Deixe um comentário