Estudo de Atos 16

Atos 16 é um capítulo cheio de histórias dessa segunda viagem missionária de Paulo. Nele encontramos diversos aprendizados em cada uma destas histórias.

Neste capítulo de Atos 16, veremos os seguintes acontecimentos:

  • Paulo encontra Timóteo (1 a 3)
  • Os decretos da igreja de Jerusalém são entregues a outras igrejas (4 e 5)
  • Paulo é impedido pelo Espírito de entrar na Ásia (6 e 7)
  • Paulo vai para a Macedônia (8 a 12)
  • Paulo se encontra com Lídia (13 a 15)
  • A jovem que adivinhava (16 a 19)
  • Paulo e Silas são presos (20 a 24)
  • Paulo e Silas na prisão (25 a 29)
  • O carcereiro e sua família são salvos (30 a 34)
  • Paulo e Silas são soltos da prisão (35 a 40)

Paulo encontra com Timóteo

Paulo tinha acabado de sair para sua segunda viagem missionária. Partindo de Antioquia, vai com Silas para Listra, onde se encontra com Timóteo. Carregava consigo o decreto do concílio de Jerusalém, que dizia, entre outras coisas, que os gentios convertidos não tinham a necessidade de se circuncidar.

“E chegou a Derbe e Listra. E eis que estava ali um certo discípulo por nome Timóteo, filho de uma judia que era crente, mas de pai grego, do qual davam bom testemunho os irmãos que estavam em Listra e em Icônio. Paulo quis que este fosse com ele e, tomando-o, o circuncidou…”

Atos 16:1-3a

Nos primeiros versos do capítulo 16, vemos que Paulo encontra com Timóteo em Listra (cidade onde Paulo havia sido apedrejado) e, rapidamente, faz a sua circuncisão.

Este é um ponto que deve chamar a nossa atenção: se a luta de Paulo, no capítulo 15, foi justamente defendendo que os gentios não precisariam se circuncidar, por qual motivo ele faz isso com Timóteo? A palavra explica:

“por causa dos judeus que estavam naqueles lugares; porque todos sabiam que seu pai era grego.”

Atos 16:3b

Existem diferentes entendimentos sobre a motivação de Paulo ter feito isso. Olhando para o todo, acredito que Paulo tenha feito para que isso não fosse motivo de escândalo entre os judeus. Aqui devemos nos lembrar da passagem de 1 Coríntios:

“E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.”

1 Coríntios 9:20-23

Por amor ao Evangelho, para que ninguém fosse escandalizado, por qualquer motivo que fosse, Paulo faz a circuncisão de Timóteo. Penso eu que esta deve ser uma meta para nós: não causar escândalo nas pessoas que estão à nossa volta.

Um exemplo muito simples é: se eu sou de uma igreja com poucos costumes mas, por qualquer motivo que for, eu vá visitar uma igreja que tenha o costume, por exemplo, de uma determinada vestimenta, eu vou usar aderir o código de vestimenta daquela igreja. Isso não vai ferir a minha fé e não vai escandalizar ninguém. Circuncidar Timóteo não feria a fé dele ou a de Paulo e ainda ajudaria a não escandalizar os judeus que receberiam a Palavra.

Impedidos de entrar na Ásia

Em Atos 16 vemos também que Paulo, Silas e Timóteo são impedidos de entrar na Ásia:

“E, passando pela Frígia e pela província da Galácia, foram impedidos pelo Espírito Santo de anunciar a palavra na Ásia. E, quando chegaram a Mísia, intentavam ir para Bitínia, mas o Espírito de Jesus não lho permitiu. E, tendo passado por Mísia, desceram a Trôade. E Paulo teve, de noite, uma visão em que se apresentava um varão da Macedônia e lhe rogava, dizendo: Passa à Macedônia e ajuda-nos!”

Atos 16:6-9

O Espírito Santo tinha a intenção de fazer com que eles fossem para a Macedônia. Não sabemos como foi este impedimento, mas o fato é que, além de impedi-los de entrar na Ásia, ainda trouxe a visão para Paulo da necessidade deles irem até a Macedônia.

A cidade onde Paulo e seus companheiros chegam é Filipos, para onde ele, posteriormente, vai escrever a carta aos Filipenses.

O que vejo aqui é que, como venho falando nos capítulos anteriores, precisamos estar sensíveis ao Espírito. Não existe ministério sem sensibilidade ao Espírito.

Também aprendo que, algumas vezes, Deus vai nos impedir de fazer o que nós queremos para que nós façamos o que Ele quer que nós falamos. Glória a Deus por isso! Que grande benção e demonstração da graça é sermos impedidos de fazer aquilo que não é a vontade de Deus para nós.

Muitos de nós estão mal acostumados, achando que precisam receber de Deus tudo o que querem. Melhor para nós é recebermos aquilo que Deus quer do que o que nós queremos. É com esse entendimento que Paulo vai escrever a carta aos Romanos:

“Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”

Romanos 12:1,2

A vontade de Deus é perfeita. Precisamos renovar o nosso entendimento para percebermos isso e entender que não é a nossa vontade que deve imperar, mas sim a dele.

Paulo e Silas na prisão

Entrando em Filipos, eles conhecem Lídia, uma vendedora de púrpura e, a convite dela, ficam em sua casa. Lá é estabelecida a base da igreja de Filipos.

Porém, naquela cidade, após expulsarem o espírito imundo de uma jovem que fazia adivinhações, eles são presos.

“E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança, o qual, tendo recebido tal ordem, os lançou no cárcere interior e lhes segurou os pés no tronco. Perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam.”

Atos 16:23-25

Na prisão eles cantavam hinos e louvavam a Deus. Durante a madrugada, acontece um grande terremoto, que faz com que todas as cadeias se soltem e as portas da prisão sejam abertas.

O que aprendo aqui é que devemos louvar e adorar em todo o tempo. Não importa se a situação está difícil, se as coisas não estão saindo como nós planejamos ou se está tudo perfeito. Devemos glorificar a Deus, adorando-o e louvando ao seu nome em todo o tempo.

Adorar nos tempos de angústia é uma marca do cristão.

Desafio do capítulo

Neste capítulo encontramos Lídia, a rica vendedora de púrpura. O desafio do capítulo é que você comente aqui duas outras mulheres que foram muito importantes na Palavra.

Deixe um comentário