Estudo do Evangelho de João 18

Os acontecimentos do capítulo 18 são aqueles após o discurso de Jesus na última ceia. Encerrada a ceia, Jesus segue para o horto onde ele já havia estado antes com seus discípulos.

Neste capítulo veremos os seguintes eventos:

  • Judas entrega Jesus
  • Pedro corta a orelha de Malco
  • Jesus se entrega aos seus acusadores
  • Jesus é levado até Anás
  • Pedro nega Jesus 3 vezes
  • Jesus é levado até Caifás
  • Os judeus pedem que Barrabás seja solto

Destes eventos todos, veremos alguns que me chamaram mais a atenção.

Jesus se oferece

“Sabendo, pois, Jesus todas as coisas que sobre ele haviam de vir, adiantou-se, e disse-lhes: A quem buscais? Responderam-lhe: A Jesus Nazareno. Disse-lhes Jesus: Sou eu. E Judas, que o traía, estava com eles. Quando, pois, lhes disse: Sou eu, recuaram, e caíram por terra.”

João 18:4-6

Note como, nesta passagem, Jesus se oferece para seus acusadores. Ele sabia o que estava acontecendo e estava preparado para aquele momento. O que estava acontecendo não era uma surpresa para Ele e nem estava fora dos planos de Deus.

É uma passagem bem diferente da que encontramos em João 6:

“Vendo, pois, aqueles homens o milagre que Jesus tinha feito, diziam: Este é verdadeiramente o profeta que devia vir ao mundo. Sabendo, pois, Jesus que haviam de vir arrebatá-lo, para o fazerem rei, tornou a retirar-se, ele só, para o monte. E, quando veio a tarde, os seus discípulos desceram para o mar.”

João 6:14-16

Nesta passagem, as pessoas queriam fazer de Jesus um rei, reconhecer que Ele era o verdadeiro rei de Israel. Porém aquele não era o plano de Deus para aquele momento. Sim, Jesus é o Rei, o verdadeiro. Mas ainda não era o seu momento de ser feito Rei. Por isso Jesus foge e vai para outro lugar, Ele não queria viver algo que não era o que Deus tinha para Ele.

Já nesta passagem de João 18, apesar de estar se entregando para morrer, Jesus não foge. Percebe como a diferença é profunda? Jesus não aceita algo bom fora da vontade de Deus, mas aceita algo que não parece ser tão bom, mas que está dentro da vontade de Deus.

Isso fala diretamente conosco, pois essa deve ser a nossa atitude. Não podemos decidir com o que nossos olhos podem ver. Devemos decidir considerando o que o Espírito está fazendo.

Pedro corta a orelha de Malco

“Então Jesus disse: — Já lhes falei que sou eu. Se é a mim que vocês estão procurando, deixem que estes vão embora. Ele disse isso para se cumprir a palavra que tinha dito anteriormente: “Não perdi nenhum dos que me deste.” Então Simão Pedro puxou da espada que trazia e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. E o nome do servo era Malco. Mas Jesus disse a Pedro: — Guarde a espada na bainha! Por acaso não beberei o cálice que o Pai me deu?”

João 18:8-11

Mais uma vez vemos a impulsividade de Pedro se manifestando. Ao perceber que poderia defender Jesus dos seus acusadores, ele acredita que fazer isso com a força natural seria uma boa saída. Ele já havia passado por um episódio parecido antes:

“Desde então começou Jesus a mostrar aos seus discípulos que convinha ir a Jerusalém, e padecer muitas coisas dos anciãos, e dos principais dos sacerdotes, e dos escribas, e ser morto, e ressuscitar ao terceiro dia. E Pedro, tomando-o de parte, começou a repreendê-lo, dizendo: Senhor, tem compaixão de ti; de modo nenhum te acontecerá isso. Ele, porém, voltando-se, disse a Pedro: Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens. Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me;”

Mateus 16:21-24

Jesus já havia mostrado a Pedro tudo o que aconteceria. Cristo estava com a situação sob controle, afinal, Deus não perde o controle das situações.

Às vezes tentamos resolver as coisas na força do nosso braço sem compreender o que Deus está fazendo. O mais essencial em tudo o que fazemos é sabermos o que Deus está fazendo e apenas seguir os Seus planos.

Quando Pedro tenta resolver por ele mesmo a situação, seja aconselhando Cristo a não se entregar ou usando de sua força física para tentar livrar Jesus, está apenas demonstrando como estava desconectado da realidade espiritual que se apresentava diante dele.

Se ficamos alheios ao que está acontecendo no Espírito, ficamos muito ligados ao que está acontecendo no natural. Isso nos leva a interpretações erradas da situação e decisões erradas.

Como o Reino cresce?

Um outro ponto de reflexão aqui é que o Reino de Deus não é levado para outras pessoas através da força, mas sim através do testemunho do amor. Neste episódio Pedro estava tentando usar a força física para proteger Cristo, sendo que Jesus queria se entregar para salvar todas as pessoas.

O Reino de Deus cresce através do testemunho do amor, não através da força física.

Infelizmente, a igreja passou muito tempo tentando levar o Reino à força. Isso deixou uma dívida com a sociedade na história da igreja, pela qual pagamos os juros até hoje.

Precisamos confiar em Deus, sabendo que o plano é dEle, não o nosso. Quando tentamos resolver as coisas nas nossas próprias forças, estamos deixando claro que não confiamos nos planos de Deus.

O que já falamos sobre João 18

Realmente pensei que eu já tinha escrito mais sobre o capítulo 18, onde temos a tão famosa passagem onde Pedro nega Jesus. Seguem dois links para textos que escrevi há algum tempo.

Ficou com alguma dúvida? Tem algum comentário? Deixe seu comentário.

Paz.

Deixe um comentário