Mensagem

A inquestionável soberania de Deus – Parte IV

“Venha o teu reino; faça- se a tua vontade, assim na terra como no céu;” (Mateus 6:10)

Nesta série de textos, falei muito sobre a vontade de Deus. Por isso acho importante explicar alguns aspectos dela de maneira mais profunda.

Como já comentei antes, não devemos deixar de lutar contra circunstâncias desfavoráveis e, como dei de exemplo anteriormente, quando estamos doentes, devemos procurar um médico, quando passamos por uma situação financeira desagradável, devemos nos adequar.

Por isso é importante entendermos que a vontade de Deus, em sua máxima perfeição, tem duas facetas: a vontade permissiva de Deus, e a vontade explícita de Deus. A segunda é simples de se entender: é a vontade de Deus que se cumpre e ponto final, nada pode impedi-la. Esta é a vontade que criou todas as coisas em Gênesis, que retirou o povo de Israel do Egito em Êxodo, etc.

A vontade permissiva de Deus se mostra quando algo que acontece não representa exatamente o desejo dEle. Como assim? Por exemplo: era da vontade de Deus que o homem comesse do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal? Não, mas mesmo assim o homem o fez. Todavia, se Deus não quisesse, de maneira nenhuma, que o homem o fizesse, Ele simplesmente teria impedido que o homem alcançasse aquela árvore, como fez com a árvore da vida.

Isso significa que Deus permite que o homem faça determinadas coisas, mesmo que seja contra a Sua vontade. Este é o livre arbítrio. Em outros momentos, Deus espera que façamos algumas coisas, mas não nos obriga. Foi isto o que aconteceu com Davi, quando este matou Golias. Ele não foi obrigado a lutar contra o gigante, mas Deus esperava que alguém o fizesse.

A vontade permissiva de Deus apenas nos revela mais profundamente a Sua soberania. Só alguém que tem todas as coisas debaixo de Sua vontade pode dar permissão para que algo aconteça. Quem não tem a soberania depende de outros fatores, pessoas ou circunstâncias. Deus não depende de ninguém para fazer valer a Sua vontade, mas Ele permite que nós sejamos usados para fazê-la. E isso é um tanto quanto profundo.

“Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.” (Mateus 7:21)

Se Deus tem todas as coisas, se Ele toma conta de tudo, se tudo o que existe é para a glória dEle e mesmo assim Ele nos deu a chance de escolher o que fazer com nossas vidas, então temos importantes decisões para tomar. Se Deus, em sua infindável soberania, espera que façamos algo, o que será que Ele espera de nós agora, neste exato momento?

Deus permite que nós façamos o que bem entendermos, que nós conduzamos as nossas vidas da maneira como acreditamos ser a melhor. E isto faz parte de Sua vontade permissiva. Mas eu acredito que nós podemos viver dentro da vontade explícita de Deus, onde seremos abençoados por Ele, cuidados e guardados.

A questão é que para viver dentro da vontade de Deus, nós precisamos abdicar da nossa. E é justamente isso que Deus espera que façamos neste exato momento, que nós deixemos de lado aquele velho hábito, aquele pecado que vive nos rodeando, aqueles pensamentos sujos, tudo aquilo que não está de acordo com a vida que Ele tem pra nós. Mas este é uma decisão de cada um. Se você entende que a vontade de Deus é o melhor para a sua vida faça esta escolha.

Em seu eterno e profundo amor Ele decidiu nos dar a chance de escolher amá-lo ou não. O que você vai escolher?

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário

Quer saber antes de todo mundo o que acontece no JC na Veia?
Assine nossa newsletter
Essa é uma lista exclusiva, poucas pessoas permanecem nela e oferecemos o melhor para nossos assinantes, conteúdo exclusivo e novidades em primeira mão.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.
close-link