Mensagem

A inquestionável soberania de Deus – Parte II

Leia a primeira parte desta série: A inquestionável soberania de Deus – Parte I.

“Assim diz o SENHOR: O céu é o meu trono, e a terra o escabelo dos meus pés; que casa me edificaríeis vós? E qual seria o lugar do meu descanso?” (Isaías 66:1)

Um outro aspecto da soberania de Deus se mostra através da nossa inutilidade. E não pense que estou sendo duro dizendo que somos inúteis, Jesus disse isso muito antes de mim. A nossa condição de servos inúteis é apenas mais uma maneira de entendermos que Deus é soberano e merece toda a glória.

Entendendo isso percebemos que não existe nada que possamos fazer que realmente seja digno de apresentar a Deus, a não ser nos humilharmos. Podemos fazer grandes obras, ajudar os necessitados, visitar os doentes, cuidar das pessoas, doar nossos bens, nada disso vale para tentar mostrar o nosso valor. A soberania de Deus é tão incrivelmente inexplicável que mesmo o que fazemos de bom, vem dEle. Logo, por qual motivo poderíamos achar algum valor em nós mesmos se o que fazemos, fazemos através da Sua graça?

“Sabei que o SENHOR é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.” (Salmos 100:3)

Quando tentamos, através de obras achar algum valor em nós mesmos, o que estamos realmente fazendo é admitir que não concordamos com o que Deus criou. Afinal se Ele nos criou como somos, por qual motivo eu teria que fazer algo para provar o meu valor para o meu Criador? Ele já me conhece e me ama como sou. De outra forma, se Ele não me amasse, Ele mesmo estaria admitindo que falhou com a criação, por isso, torna-se um tanto óbvio o quanto sou amado. Deus nunca falha, o senso de perfeição dEle não é falho como o nosso.

“Não a nós, SENHOR, não a nós, mas ao teu nome dá glória, por amor da tua benignidade e da tua verdade.” (Salmos 115:1)

Tudo o que fazemos de bom, fazemos através dEle. Não temos nenhuma bondade por nós mesmos, nenhuma boa obra pode sair de nós se Ele não quiser. Se fazemos algo de bom é porque Deus, minimamente, aprovou. Logo toda a glória é dEle, toda a honra é para Ele. Reconhecer isso é um requisito básico para todo o cristão.

Leia a próxima parte desta série: A inquestionável soberania de Deus – Parte III.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Adicionar comentário

Deixe um comentário