Estudo do livro de Tiago – Capítulo 2

O capítulo 2 da carta de Tiago é incrível! É um texto sobre o qual devemos refletir e entender com clareza. Nele, aprendemos sobre como devemos amar as pessoas e como a nossa fé deve ser uma fé viva.

Neste capítulo, Tiago apresenta os seguintes assuntos:

  • Fé e acepção de pessoas (1 a 9)
  • O cumprimento completo da lei (10 a 13)
  • A fé viva e a fé morta (14 a 26)

Vamos falar sobre os três.

Vídeo do estudo

Fé e acepção de pessoas

Este capítulo se abre com a questão de se fazer acepção de pessoas:

“Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.”

Tiago 2:1

Devemos nos lembrar aqui que Tiago estava escrevendo para judeus convertidos. Estes judeus, antes da conversão, comumente viam os ricos e pessoas mais proeminentes assumindo um lugar mais confortável nas sinagogas. A distinção que se fazia entre eles, antes da conversão, era muito grande.

Esse é um dos motivos pelos quais esse assunto é tão importante para aqueles leitores. Eles precisavam lembrar-se, sempre, de que em Cristo não fazemos acepção de pessoas. Como cristãos, o Pai nos fez todos iguais.

Aplicando isso para nossas vidas, o exemplo que Tiago dá nos diz que não devemos ter nossos olhos mais voltados para os ricos, para os que parecem ser mais importantes, esquecendo-nos dos pobres. Não podemos dar o lugar de honra para aqueles que, aos olhos do mundo, são mais dignos. Não julgamos segundo os olhos do mundo, julgamos segundo a lei do Senhor, que nos diz:

“E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.”

Mateus 22:39

Quando Jesus resume toda a lei, citação à qual Tiago está fazendo referência aqui neste capítulo, Ele não está nos dizendo para amarmos apenas aqueles que parecem ser dignos do nosso amor, ou tratarmos alguém de maneira diferenciada. O que aprendemos com Cristo, com Tiago e em Levítico 19 é que devemos amar as pessoas da mesma maneira que nos amamos, seja essa pessoa nossa amiga, familiar, inimiga ou desconhecida.

Com isso, qualquer sinal de acepção de pessoas em nossas vidas, precisa ser interpretado como pecado:

“Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores.”

Tiago 2:9

Essa passagem é uma onde corremos um dos riscos de interpretação mais sérios que temos na Palavra: aplicar o que aprendemos para outras pessoas e não para nós. Se você, ao meditar nessa passagem, ficou se lembrando de casos que aconteceram na sua igreja ou em outro lugar, muito cuidado. Esse é, na minha opinião, um dos maiores erros de interpretação da Palavra. O que devemos fazer nessa, e em todas as outras passagens, é identificar onde nós mesmos temos errado.

O cumprimento completo da lei

Após isso Tiago fala sobre como devemos cumprir toda a lei:

“Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu, pois, não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.”

Tiago 2:10,11

O argumento aqui está totalmente conectado com o que ele veio explicando antes. Se a lei do Rei Jesus é que devemos amar ao nosso próximo como a nós mesmos e fazemos acepção de pessoas, então falhamos na lei como um todo.

Não importa se ajudamos as pessoas, se fizemos boas obras, se amamos nossos familiares ou qualquer coisa do tipo. Se fizemos acepção de pessoas, por exemplo, falhamos no cumprimento da lei que nosso Senhor nos deixou.

Aqui, muitas vezes, temos uma interpretação muito suave sobre como devemos cumprir o que Jesus nos ensinou. Pensamos que, por Ele ter perdoado todos os nossos pecados e vivermos na dispensação da graça, podemos viver de qualquer maneira. Isso não é verdade. Basta nos lembrarmos do que o próprio Jesus nos ensinou:

“Jesus respondeu e disse-lhe: Se alguém me ama, guardará a minha palavra, e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada. Quem não me ama não guarda as minhas palavras; ora, a palavra que ouvistes não é minha, mas do Pai que me enviou.”

João 14:23,24

Isso para citar apenas uma passagem onde Jesus fala sobre isso.

Aqui, novamente, é importante lembrarmos que a audiência para quem Tiago estava escrevendo isso era de judeus convertidos. Pessoas que, muitas vezes, seguiram fielmente apenas a parte da lei que eles queriam, ignorando uma série de outros mandamentos e se achando muito justos ao fazerem isso.

De qualquer forma, é uma passagem que se aplica diretamente em nossas vidas, como expliquei acima.

A fé viva e a fé morta

Chegamos então no ponto que talvez gere um pouco mais de polêmica nesse capítulo:

“E, se o irmão ou a irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e lhes não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí? Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.”

Tiago 2:15-17

Tiago nos ensina aqui existem dois tipos de fé: aquela expressa com nossas palavras, mas que não gera nenhuma atitude, e aquela que além de expressa com nossas palavras, é também expressa nas nossas vidas, através de ações práticas.

Uma delas, Tiago diz que “é morta em si mesma”, ou seja, é uma fé que não é válida diante de Deus.

O ponto central aqui, para não ser repetitivo com o que eu falei no estudo de Gálatas, é que a nossa fé precisa ser apresentada através da manifestação do fruto do Espírito, do agir de Deus, através de nós.

Desafios do capítulo

Para o capítulo de hoje, os desafios são os seguintes:

  • Em quais outras passagens Jesus fala sobre o nosso dever de cumprir os Seus mandamentos? Não lembra de nenhuma? Que tal dar uma olhada em Mateus 7… Em qual versículo Jesus fala sobre isso lá?
  • Comente sobre o que você aprendeu nesse capítulo e consegue aplicar em sua vida.

Deixe seu comentário com suas respostas.

Deixe um comentário