Versículo

Versículo do dia – Frutos de arrependimento

“Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento;” (Mateus 3:8)

Nesta discussão com os Fariseus, pouco antes de Jesus chegar, João já falava sobre pecado e arrependimento. Conta o livro de Mateus que as pessoas confessavam seus pecados e eram batizadas, ou seja, era necessário a confissão e o arrependimento para um batismo sincero.

Hoje, lendo esta passagem, fiquei pensando em como nós muitas vezes dizemos estar arrependidos mas não produzimos um fruto de arrependimento. Também fiquei pensando quais seriam os frutos de arrependimento possíveis de se viver, para avaliar no que devo mudar.

Creio que primeiramente a pessoa deve parar de praticar o ato, sem isto não existe arrependimento. Pode parecer óbvio, mas constantemente dizemos estar arrependidos e voltamos a pecar naquela área. Isto é arrependimento verdadeiro?

Após isso creio que o arrependido deve pedir perdão e ressarcir qualquer dano causado pelo seu pecado às outras pessoas, como fez Zaqueu (Lc 19). Isso envolve conversar com as pessoas envolvidas e explicar toda a situação, pedindo perdão pelos seus atos e estando disposto a enfrentar as consequências.

Então creio que a pessoa deva ser acompanhada por alguém com mais experiência e que não tem problemas naquela área. Não adianta nada alguém tentar se livrar do alcoolismo sendo acompanhada por um alcoólatra. Muitos criticam esta posição, mas creio que quando estamos juntos, em sinceridade, os pecados não devem ser encobertos, mas sim revelados para que “se um cair o outro o levante” (Ec 4:10). Raciocinando de maneira lógica, se alguém sabe que você teve problemas em alguma área, será muito mais difícil você voltar a pecar naquela área, pois existe alguém te acompanhando.

Por fim, quando a pessoa está liberta daquele pecado, creio que ela deva ajudar os outros a se livrarem também, mantendo sempre uma posição firme em relação ao pecado e em fé.

Novamente amados, não sou dono da verdade, nem estou dando a fórmula mágica contra o pecado, isso não existe. O que existe é o relacionamento com o Espírito Santo e o conhecer da verdade, que sempre nos liberta.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário