Palavras vazias

“E, quando chegaram à multidão, aproximou-se lhe um homem, pondo-se de joelhos diante dele, e dizendo: Senhor, tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo, e muitas vezes na água; E trouxe-o aos teus discípulos; e não puderam curá-lo. E Jesus, respondendo, disse: Ó geração incrédula e perversa! até quando estarei eu convosco, e até quando vos sofrerei? Trazei-o aqui. E, repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele, e desde aquela hora o menino sarou”.

Mateus 17:14-18

Essa passagem mostra o momento onde havia um homem que seu filho sofria sendo dominado por demônios, no qual os discípulos tentaram expulsar, mas não conseguiram. Com isso, o homem se achega até Cristo e clama que Ele liberte o menino, e Jesus repreende o demônio, libertando aquela criança. A pergunta que não quer calar é: por que os discípulos não conseguiram expulsar aquele demônio?

Eu estava orando e o Senhor me lembrou dessa passagem. Fui orar em um momento onde estava bem cansado, no fim do dia, e comecei a dizer coisas automáticas. Na verdade eu nem estava prestando atenção no que dizia. Nesse momento o Senhor me mostrou que, assim como os discípulos, minhas palavras estavam vazias.

No caso específico dos discípulos, o que lhes faltava era a fé. Se analisarmos nossa vida com Deus, podemos identificar momentos nos quais nossas palavras saem completamente vazias.

Às vezes pode faltar fé em nossas palavras, em orações de cura por exemplo, orando por enfermidades que a gente não tem a menor esperança de que aquilo pode ser mesmo curado.

Às vezes pode faltar coração em nossas palavras, como no meu caso. Eu estava falando com Jesus, eu precisava buscar Ele te todo o meu coração, mas não o fiz.

Às vezes pode faltar amor, principalmente com nossos irmãos em momentos de comunhão.

Mas como carregar as minhas palavras? A resposta é simples: Espírito Santo.

Por nós mesmos, é impossível. Nós realmente não temos fé, não temos amor, não temos um coração puro. Mas quem nos purifica, e enche nossas palavras é o próprio Senhor.

Por isso, sempre peça para que o Espírito Santo te ajude, e encha suas palavras. Que na verdade não sejamos nós mesmos falando, mas sim o Senhor. Pois as suas palavras saindo de nós são fonte de vida em todas as situações.

Gostaria de recomendar aqui uma leitura muito boa, que eu pude aprender muito sobre isso. É um livro chamado “Bom dia Espírito Santo”, do Benny Hinn. Nesse livro ele fala um pouco sobre deixar que o Senhor guie nossas palavras, nossas orações e nossa vida.

Que o Senhor possa encher nossa boca da Sua graça e do Seu poder!

Deus abençoe!

Deixe um comentário