Relacionamento com Cristo

Existem vários tipos de relacionamento que podemos ter com Cristo. Quanto mais estudo a Palavra, mais vejo os tipos de pessoas que se relacionaram com Ele.

Mesmo muitos anos depois, acredito que nós acabamos nos enquadrando em algum destes tipos de relacionamento.

Hoje quero ver alguns destes tipos.

Fariseus

“E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério; E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando. E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?”

João 8:3-5

Os fariseus foram pessoas que conheceram Jesus, o ouviram pregar, mas não creram em suas Palavras. Seus ouvidos e coração estavam fechados para a verdade que Cristo estava trazendo.

Estes eram os religiosos daquela época. Estavam sempre nos templos, faziam as orações, celebravam as festas sagradas, guardavam os bons costumes e a lei. Mas não estavam dispostos sequer a compreender o que Cristo dizia.

Nós podemos ter um relacionamento com Cristo como o deles. Podemos cumprir as regras, fazer as orações, cantar os louvores, mas não ter o nosso coração convertido nem obedecer a Cristo.

Multidão

“Depois disto partiu Jesus para o outro lado do mar da Galiléia, que é o de Tiberíades. E grande multidão o seguia, porque via os sinais que operava sobre os enfermos. E Jesus subiu ao monte, e assentou-se ali com os seus discípulos.”

João 6:1-3

A multidão buscava o milagre. Eles queriam comer o pão multiplicado, beber o vinho que era água e receber a cura. Eles se relacionavam com Cristo interessados no que Jesus poderia lhes dar.

Esse é o tipo de relacionamento mais comum que vemos até hoje: pessoas que se relacionam com Jesus apenas pelo que Ele pode fazer por elas.

Discípulos

“E dizia: Por isso eu vos disse que ninguém pode vir a mim, se por meu Pai não lhe for concedido. Desde então muitos dos seus discípulos tornaram para trás, e já não andavam com ele. Então disse Jesus aos doze: Quereis vós também retirar-vos?”

João 6:65-67

Os discípulos eram um grupo especial de seguidores. Eram eles quem recebiam o ensino de maneira mais próxima e que faziam boa parte da obra. Eles batizavam, pregavam, tinham realmente um cargo com o Senhor.

Porém, quando ouviram uma palavra mais dura, abandonaram Jesus.

Ainda encontramos muitos como esses hoje em dia. Fazem as coisas na igreja, são pessoas ativas no ministério, mas não estão prontas para ouvir as duras verdades que Cristo traz. O relacionamento delas com Jesus tem um limite que não pode ser transposto.

Nós mesmos podemos estar nessa situação.

Os 12 Apóstolos

“E, indo eles, acharam como lhes havia sido dito; e prepararam a páscoa. E, chegada a hora, pôs-se à mesa, e com ele os doze apóstolos.”

Lucas 22:13,14

Este subgrupo dos discípulos foram os que ficaram quando outros foram embora. Além de fazer tudo o que os outros discípulos faziam, estes estavam dispostos a permanecer mesmo quando eram contrariados. Eles estavam prontos para ouvir aquilo que não lhes agradava.

Este grupo, porém, ainda era composto por pessoas como Judas, que acabou traindo Jesus. Também tinha Tomé, que duvidou da ressurreição de Jesus. Era um grupo muito próximo de Jesus, mas que ainda tinha coisas básicas para acertar em suas vidas.

Podemos ser como estes: trabalhamos, estamos próximos, aguentamos as duras correções, mas podemos fazer tudo isso sem realmente crer no SENHOR com todo o nosso coração. Temos que analisar quais são as barreiras que nos impedem de ir para o próximo nível de relacionamento com Jesus.

Os três mais próximos

“E seis dias depois Jesus tomou consigo a Pedro, a Tiago, e a João, e os levou sós, em particular, a um alto monte; e transfigurou-se diante deles; E as suas vestes tornaram- se resplandecentes, extremamente brancas como a neve, tais como nenhum lavadeiro sobre a terra as poderia branquear. E apareceu-lhes Elias, com Moisés, e falavam com Jesus.”

Marcos 9:2-4

Este grupo era especial. Foram escolhidos por Cristo em alguns momentos para que pudessem estar a sós com Jesus. Presenciaram coisas maravilhosas como a transfiguração. Foram privilegiados com esta graça de estarem próximos ao filho nos momentos mais especiais.

Não podemos fazer nada para estar nesse grupo. Fazer parte dos apóstolos mais próximos é algo que é mais escolha do SENHOR do que algo que dependa de nós. O que precisamos fazer é perseverar e servir sempre.

João

“E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. Ora Jesus, vendo ali sua mãe, e que o discípulo a quem ele amava estava presente, disse a sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde aquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.”

João 19:25-27

João tinha um relacionamento especial com Cristo. Ele foi o único que, no momento mais difícil, esteve ao lado de Jesus. Quando todos os outros abandonaram, ele permaneceu.

Este é o nível de relacionamento onde realmente nada mais importa. Onde crer é algo tão presente dentro de você que não existe nada que o faça duvidar. Mesmo os momentos de maior angústia, as pressões mais difíceis, não são capazes de fazer você desistir.

Este é o nível de relacionamento que devemos buscar com o Senhor todos os dias.

Paz.

Deixe um comentário