Versículo

De Vasti à Ester

Bárbara Cunha
Escrito por Bárbara Cunha

“A rainha Vasti, porém, recusou atender à ordem do rei dada por intermédio dos eunucos; pelo que o rei muito se enfureceu, e se inflamou de ira.” (Ester 1:12)

Vasti era a esposa do rei. Tinha tudo o que queria, afinal de contas, era a rainha.

Porém, além de ter todas as vontades sanadas quando e como quisesse, Vasti também deveria ser exemplo para o restante das mulheres do reino. Papel comum para alguém que ocupa um cargo como este. Assim como hoje diversas mulheres casadas com homens importantes são exemplos para cidadãs normais.

Contextualizando:

O rei Assuero deu uma festa para todos os governantes do reino e, dias depois do início da festividade, solicitou que a rainha fosse ao seu encontro (um costume da época).

Mas ela recusou e, devido a essa atitude, Vasti perdeu o posto e Assuero foi em busca de uma nova rainha.

Após um longo período a procura da mulher ideal, o rei encontrou uma moça cuja a beleza e a postura não se comparavam a nenhuma outra.

No entanto, ele não tinha ideia de que ela – Ester – fazia parte do povo que ele escravizava. Ela era judia.

Quando descobriu a nação da nova rainha, o rei mudou o pensamento e as atitudes para com aquele povo só pela forma como Ester o tratava.

Ao contrário de Vasti, Ester cumpria com os afazeres de esposa, rainha e mulher temente a Deus.

Ainda que confiasse em um Deus diferente do de seu marido, ela nunca deixou de honrá-lo e não permitiu que o poder do lugar que passou a ocupar tomasse conta de seu coração.

Como mulher, reconheço que muitas vezes sou egoísta e egocêntrica como Vasti foi. Contudo, pela graça de Deus e o auxílio do Espírito Santo, sei que devo honrar e obedecer minhas autoridades e dar bom testemunho como Ester.

Mulheres: precisamos seguir o caminho de Vasti à Ester.

Agora, em um tempo onde os valores têm sido invertidos, qual postura temos adotado perante as autoridades que Deus nos estabeleceu? Qual o testemunho que temos dado?

Reflita.

Sobre o autor

Bárbara Cunha

Bárbara Cunha

Paulista de 20 e alguns anos. Cristã convicta. Jornalista. Corintiana torcedora do Arsenal da Inglaterra. Apaixonada por filmes, séries e música.

1 comentário

Deixe um comentário