Ame mais, julgue menos

Por que damos mais atenção aos defeitos do que às qualidades daqueles com quem convivemos?

As qualidades das outras pessoas são o que nos deixam felizes enquanto os defeitos nos fazem romper os relacionamentos ou até destruir uma vida.

Experimente: ame mais, julgue menos.

De dez atitudes boas, um único erro é capaz de acabar com todas as memórias felizes que foram construídas.

Vidas são perdidas porque o homem decide não aceitar as imperfeições ao invés de ajudar a multiplicar as qualidades.

Todavia, da mesma maneira que vemos os defeitos dos outros, eles também veem os nossos.

Já pensou se todos decidissem nos julgar igualmente como os julgamos?[mks_pullquote align=”left” width=”190″ size=”21″ bg_color=”#dd3333″ txt_color=”#ffffff”]Êxodo 21:24[/mks_pullquote]

Voltaríamos à época da lei, no Antigo Testamento, onde tudo era a base do “olho por olho e dente por dente”.

Jesus apresentou-se como Cristo para mudar esse padrão. Por isso, nos orientou a amar-nos uns aos outros como Ele nos amou.

Mas, de vez em quando, nossa justiça própria fala mais alto e condenamos os demais por acreditar que temos razão. Ledo engano.

Dessa vez quero pedir que não somente pense a respeito, mas coloque isto em prática constantemente.

Lembre-se que este foi o mandamento de Cristo.

“Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros, como eu vos amo.” (João 15:12)

Deixe um comentário