Algumas coisas em secreto, outras em aberto

Existem algumas direções na palavra, que Jesus nos orienta que sejam mais em secreto, no íntimo, você e Deus. Existem outras que Jesus nos orienta que sejam mais públicas, para outras pessoas.

Vamos ler os textos abaixo para refletir um pouco mais sobre isso.

“Tenham o cuidado de não praticar suas ‘obras de justiça’ diante dos outros para serem vistos por eles. Se fizerem isso, vocês não terão nenhuma recompensa do Pai celestial. “Portanto, quando você der esmola, não anuncie isso com trombetas, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, a fim de serem honrados pelos outros. Eu garanto que eles já receberam sua plena recompensa. Mas, quando você der esmola, que a sua mão esquerda não saiba o que está fazendo a direita, de forma que você preste a sua ajuda em segredo. E seu Pai, que vê o que é feito em segredo, o recompensará. “E, quando vocês orarem, não sejam como os hipócritas. Eles gostam de ficar orando em pé nas sinagogas e nas esquinas, a fim de serem vistos pelos outros. Eu asseguro que eles já receberam sua plena recompensa. Mas, quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está em secreto. Então seu Pai, que vê em secreto, o recompensará. E, quando orarem, não fiquem sempre repetindo a mesma coisa, como fazem os pagãos. Eles pensam que por muito falarem serão ouvidos” (Mateus 6:1-7)

“Quando jejuarem, não mostrem uma aparência triste como os hipócritas, pois eles mudam a aparência do rosto a fim de que os outros vejam que eles estão jejuando. Eu digo verdadeiramente que eles já receberam sua plena recompensa. Ao jejuar, arrume o cabelo e lave o rosto, para que não pareça aos outros que você está jejuando, mas apenas a seu Pai, que vê em secreto. E seu Pai, que vê em secreto, o recompensará” (Mateus 6:16-18)

Essas duas passagens nos falam um pouco sobre oração, ofertas e jejum. Jesus nos direciona a fazer essas três coisas sempre em secreto. A exceção é quando o próprio Espírito Santo te direciona em um caso específico.

O grande problema quando eu faço essas coisas em aberto, divulgando e abrindo para diversas pessoas, é que a minha motivação para fazer isso pode estar errada, pode ser que eu esteja sendo movido por um espírito de idolatria, um desejo de ser visto e admirado.

Precisamos apenas tomar o cuidado de não confundir o fazer em secreto, com ausência de comunhão. A palavra também nos orienta que devemos orar um pelos outros, por exemplo. Também é importante participar de propósitos de jejum com a galera que caminha com você, ou às vezes em algum tipo de oferta coletiva.

O problema é quando deixamos entrar em nosso coração um desejo de ser visto, um espírito enganoso que pode nos levar a pecar.

Por isso sempre antes de ofertar, jejuar ou orar, atente a isso, lembre desses textos, saiba que tudo isso deve ser feito para o Senhor. Lembre-se que o Senhor, no secreto, está de olho em tudo que você tem feito, e é isso que importa. Cuidado com a motivação errada, não somos nós que devemos ser adorados.

Por outro lado, existe uma coisa que Jesus espera que façamos em público: que falemos com o máximo de pessoas possível sobre as boas novas ou, em outras palavras, praticar o evangelismo. Vamos ver esses dois textos abaixo:

“Vocês são o sal da terra. Mas, se o sal perder o seu sabor, como restaurá-lo? Não servirá para nada, exceto para ser jogado fora e pisado pelos homens.” (Mateus 5:13)

“Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas”. (Marcos 16:25)

Jesus nos diz que devemos pregar o evangelho a todas as nações, então, consequentemente, isso se tornará algo público. Essa é a intenção.

Isso não pode ser no secreto, as pessoas devem saber que nós somos cristãos, nós devemos influenciar as pessoas. As pessoas precisam saber quem é Cristo através das nossas vidas!

Atente-se à sua motivação sempre. Não deixe que o espírito de idolatria o leve a fazer coisas para aparecer ou para ser admirado. Fique atento para não deixar que o evangelho fique retido no seu secreto, e não atinja outras pessoas.

Deus abençoe!

Deixe um comentário