Versículo

A letra mata

Bíblia aberta
Ricardo Cirilo
Escrito por Ricardo Cirilo

“… porque a letra mata, mas o espírito vivifica …” (2 Coríntios 3:6)

Estava no ônibus com a minha esposa, e nos deparamos com um cartaz colado no ônibus, que nos chamou atenção. Esse cartaz era a propaganda de um curso de teologia bíblica. Até aí tudo bem, porém no cartaz estava escrito bem amostra a seguinte frase: “curso não religioso”.

Sinceramente não sou muito conhecedor desse tipo de curso, e não sei se é comum cursos de teologia bíblica terem essa especificação de não ser religioso, e também o foco desse post não é apontar se esse tipo de curso e bom ou ruim. Mas essa frase no cartaz despertou em nós uma linha de pensamento bem interessante.

Muitos de nós acabamos por ler e estudar a palavra apenas como palavra, nos esquecendo completamente que a palavra de Deus é viva, como lemos em Hebreus: “Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, e de juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração” (Hebreus 4:12).

Um exemplo bem interessante, são os Fariseus que viveram na época de Jesus. Se diziam grandes conhecedores da palavra, mas infelizmente não reconheceram o salvador que tanto ansiavam, ” Veio para o que era seu, e os seus não o receberam” (João 1:11)

Eu estou em uma busca pessoal para que a palavra se torne cada vez mais viva meu coração. Sempre, antes de ler, procuro orar pedindo que Deus a revele em meu coração, que não sejam mais apenas textos, mas sim vida. E através desse post te encorajo também a buscar mais a palavra viva, deixar que o Espírito Santo gere o fruto dessa palavra em nossos corações!

Compartilhe conosco como tem sido sua busca, o que você tem feito para que a palavra se torne vida, e juntos vamos nos edificando!

Deus abençoe!

Sobre o autor

Ricardo Cirilo

Ricardo Cirilo

Cristão, casado, vinte e poucos anos, apaixonado por futebol e descobrindo os prazeres de escrever.

Deixe um comentário