Música

Exclusivo – Ao Cubo e o cd Um por todos

Hoje quero dar as boas-vindas a: Dona Kelly, dona de uma das vozes mais capacitadas do rap nacional, DJ FJay, um dos que concorreram ao prêmio de melhor DJ nos 10 anos do Hutúz (teve meu voto), Cleber e Feijão, os caras que dominam os vocais de um dos melhores grupos de rap gospel do Brasil. Obviamente, estamos hoje recebendo o Ao Cubo.

Os caras acabaram de lançar o cd “Um por todos”, tão aguardados por nós aqui no JC na veia, site que, com certeza, fez a cobertura mais precisa de todo o processo de desenvolvimento, produção e lançamento deste cd. Para fechar com chave de ouro este tempo, recebemos o grupo numa entrevista exclusiva.

JC na veia – Sejam bem-vindos galera. É uma honra recebê-los e poder conversar com vocês. Gostaria de iniciar esta conversa falando justamente do novo cd, lembrando que é o primeiro cd lançado em parceria com a Graça Music. Abordando este assunto, como foi esta parceria?

Ao Cubo – Até o momento só elogios, alem da mega estrutura, são profissionais, verdadeiros e muito honestos.

JC na veia – O que a assinatura do contrato com a Graça Music muda na carreira de vocês?

Ao Cubo – Certamente podemos nos concentrar mais na parte artística e esquecer um pouco a comercial, com isso aumenta a qualidade e criatividade do grupo.

JC na veia – O último cd trouxe um tema de perdão, como vocês mesmos falaram. Este cd tem uma temática especial? Se sim, o que os motivou a falar sobre isso?

Ao Cubo – Estamos falando de assuntos variados mas nenhum menos importante que outros, falamos de respeito ao próximo, sustentabilidade, família, consumismo, liberdade, o valor da vida, criança abandonada. Se fosse pra resumir o tema central é vida, o cd fala de como viver melhor aqui na terra.

JC na veia – Qual a expectativa que vocês tem com o lançamento do cd “Um por todos”? Creio que exista, além de um trabalho natural, uma expectativa em Deus, sobre o que acontecerá quando as pessoas ouvirem as músicas, correto?

Ao Cubo – Estamos muito ansiosos, demos nosso melhor pra esse trabalho, estudamos nosso público e o que ainda temos que atingir, queremos mudar de nível, passar pra uma fase mais profissional. Estamos discutindo desde o começo do ano sobre a festa de lançamento, se Deus permitir, faremos algo de 1º mundo.

JC na veia – Quais músicas vocês destacam neste novo trabalho e por que?

Ao Cubo – O álbum vem com 12 faixas, selecionamos só as melhores, desde a primeira até a ultima, tem música para todos os gostos. Inicialmente estamos trabalhando a música Filhos que é a história do Cleber e da Dona Kelly que são irmãos de sangue, na música eles abordam o abandono do pai deles. Vamos trabalhar a Nasci pra Vencer que tem a cara da copa do mundo e depois disso é o público, os sites e as rádios que decidem.

JC na veia – Falando sobre a visão do grupo e conhecendo um pouco mais cada um de vocês, vamos conversar sobre alguns outros assuntos ok? Por exemplo, como vocês encaram a indústria e a mercantilização do gospel, onde tudo é vendido em nome de Deus, e a real vida de submissão e amor a Cristo? O que quero dizer é o seguinte, onde a música como arte e trabalho encontra o ministério que vocês tem em Deus e como essas duas áreas da vida de vocês conversam?

Ao Cubo – Assunto muito polêmico, é mais fácil falar do que escrever, mas vamos lá. Comércio tem em todos os lugares, no meio evangélico, criaram o termo gospel pra comercializar produtos para um público direcionado, tanto é que qualquer um grava gospel, independente do credo do indivíduo, é só cantar uns versículos bíblicos e pronto. Por esse motivo, não intitulamos nossas músicas como “música gospel”, fazemos rap nacional, cantamos para todos os povos, o que nos diferencia é o nosso coração, e a boca só fala do que o coração tá cheio. Enfim, nosso ponto de vista sobre o comércio pro povo evangélico é uma faca de dois cortes, é bom e é ruim, tem o joio e o trigo, comércio não é errado, errado é mentir.

JC na veia – Se vocês pudessem mudar alguma coisa nos álbuns anteriores, o que mudariam?

Ao Cubo – Várias coisas, o tempo passa e a gente fica mais enjoado.

JC na veia – Quais os grupos de rap que influenciaram e influenciam até hoje vocês?

Ao Cubo – Vários gringos como Lil Wayne, The game, Eminem, Jay-z… e aqui no Brasil tem Racionais, Apocalipse 16, Emicida…

JC na veia – Se hoje vocês não fossem um grupo de rap cristão, o que vocês gostariam de ser?

Ao Cubo – Cada um tinha um profissão antes de cantar, sou publicitário e talvez trabalharia com cinema, ou sei lá…

JC na veia – Quais são os planos para um futuro próximo?

Ao Cubo – Divulgar o “Um por todos” e passar pra um outro nível mais profissional.

JC na veia – Uma pergunta totalmente fora de contexto: Vocês já se perguntaram por que o myspace da Paula Lima é “aocubooficial”?

Ao Cubo – rsrsrs, nem imagino!

Bem galera, esta foi nossa humilde conversa com um grande grupo. Oramos aqui para que Deus continue abençoando e capacitando cada um dos integrantes, dando direção, discernimento, sabedoria e muita paz.

Abraços!!!

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

2 Comentários

Deixe um comentário