Música

Grammy 2010 – O cenário gospel

Uma premiação que deu à Beyoncé o prêmio de melhor música do ano com “Single Ladies” é, no mínimo, discutível. Quando paramos para olhar o que aconteceu com o cenário gospel então, realmente nos sentimos desanimados.

As nomeações foram estranhas, os prêmios, discutíveis, mas vamos lá, o Grammy e seus vencedores (em destaque):

Melhor performance gospel

Engraçado votarem nisso. Teriam que ter visto todas as performances para poder nomear e votar. Tenho certeza que grandes performances ficaram de fora. E outra, o que é analisado neste quesito? Qualidade musical, “nível de espiritualidade”, disposição de palco?

“Wait On The Lord” – Donnie McClurkin com participação de Karen Clark Sheard
– “Free To Be Me” – Francesca Battistelli
– “Jesus Is Love” – Heather Headley com participação de Smokie Norful
– “I Believe” – Jonny Lang e Fisk Jubilee Singers
– “Born Again” – Third Day

Melhor música gospel

Amo Mary Mary, mas perdão, não temos como dizer com exatidão que “God In Me” é a melhor música. De qualquer forma, as meninas estiveram duas vezes nesta nomeação.

“God In Me” – Mary Mary
– “Born Again” – Third Day
– “City On Our Knees” – tobyMac
– “Every Prayer” – Israel Houghton e Mary Mary
– “The Motions” – Matthew West

Melhor álbum de rock ou rap gospel

Colocar rock e rap na mesma premiação? Não é estranho comparar o trabalho de Da’ T.R.U.T.H. com o do Red? Não vejo nenhuma maneira de escolher entre um ou outro uma vez que são estilos completamente diferentes. De qualquer forma, o pessoal colocou e não premiou nenhum dos dois, apesar do Innocence & Instinct ser ótimo.

Live Revelations – Third Day
– The Big Picture – Da’ T.R.U.T.H.
– Crash – Decyfer Down
– Innocence & Instinct – Red
– The Dash – John Wells-The Tonic

Melhor álbum de pop ou gospel contemporâneo

Israel Houghton é pop contemporâneo? Não sei ao certo.

The Power Of One – Israel Houghton
– Speaking Louder Than Before – Jeremy Camp
– The Long Fall Back To Earth – Jars Of Clay
– Love Is On The Move – Leeland
– Freedom – Mandisa

Melhor álbum sulista, country ou bluegrass
Jason Crabb – Jason Crabb
– Dream On – Ernie Haase & Signature Sound
– The Rock – Tracy Lawrence
– In God’s Time – Barry Scott & Second Wind
– Everyday – Triumphant Quartet

Melhor álbum tradicional
Oh Happy Day – Diversos
– God Don’t Never Change – Ashley Cleveland
– The Law Of Confession, Part I – Donald Lawrence & Co.
– The Journey Continues – The Williams Brothers
– How I Got Over – Vickie Winans

Melhor álbum de R&B gospel
Audience Of One – Heather Headley
– Renewed – Sheri Jones-Moffett
– Just James – J Moss
– Smokie Norful: Live – Smokie Norful
– Bold Right Life – Kierra Sheard

Depois desta crítica ácida à premiação, me diga o que você, leitor, pensa.

Paz

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

2 Comentários

Deixe um comentário