João Batista apresenta a Cristo

João Batista é um personagem bíblico muito importante e nos traz um entendimento crucial de quem é Jesus.

Ao vir batizando, ele diz que estava preparando o caminho do Senhor. Por isso precisamos entender o que significa o batismo com água. Nas palavras que lemos no evangelho de Marcos:

“Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados.”

Marcos 1:4

Preparar o caminho do Senhor então passava por levar as pessoas ao arrependimento de seus pecados. Com isso aprendo que, se não me arrependo dos pecado que cometi, não posso conhecer verdadeiramente a Jesus. Posso saber quem Ele é, posso ver e até mesmo ser o alvo de seus milagres, mas não posso conhecê-lo de maneira profunda.

Então, falando sobre Cristo, João diz:

“Este é aquele que vem após mim, que é antes de mim, do qual eu não sou digno de desatar a correia da alparca.”

João 1:27

Ao afirmar que Jesus era “antes dele”, João está dando um sinal claro do caráter divino de Jesus. Naturalmente, ambos eram primos e Jesus era mais novo que João. Logo, quando João diz que Jesus “é antes” dele, afirma duas coisas:

  1. “Jesus é”: Ele não nasceu, não foi criado, Ele é. (vide João 8:24,28)
  2. “antes de mim”: Jesus não nasceu no momento onde veio ao mundo através de Maria. Jesus sempre existiu

No mesmo versículo lemos “eu não sou digno de desatar a correia da alparca”. Ou seja, nem mesmo de desatar as suas sandálias, João era digno. Isso nos ensina que nós não somos dignos de Jesus, nada fizemos para merecê-lo. Não existe nada em nós que nos permita recebermos Jesus como Salvador. É através da graça que somos salvos, não através das obras ou de alguma característica nossa.

Após isso vemos João dizer:

“Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.”

João 1:29

Assim como o cordeiro da páscoa judaica era imolado para que os pecados do povo fossem perdoados, Jesus é o Cordeiro enviado por Deus para tirar o pecado não de uma pessoa ou de uma família, mas de todo o mundo. Isso nos fala sobre a plenitude do alcance do sacrifício voluntário de Jesus. Ao morrer na cruz, Jesus pagou o preço do nosso pecado, não importando quanto tempo depois de seu sacrifício tenhamos nascido. 

Na sequência dos fatos, o que aprendemos até agora é: através da graça Deus nos escolhe, nós nos arrependemos de nossos pecados e Jesus paga o preço para que sejamos perdoados pelo Pai.

João então reafirma que Jesus é:

“Após mim vem um homem que é antes de mim, porque foi primeiro do que eu.”

João 1:30

Após isso ele diz:

“Eu vi o Espírito descer do céu como pomba, e repousar sobre ele.”

João 1:32

Jesus não era apenas um homem, era o filho unigênito de Deus, a pessoa através da qual tudo foi criado e que carregava em si o Espírito de Deus. Essa afirmação é base para entendermos o que vem a seguir:

“esse é o que batiza com o Espírito Santo.”

João 1:33

Diferente do batismo de João, era o batismo do Espírito Santo. Este batismo, conforme explicado em Atos pelo próprio Jesus:

“Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias… Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.”

Atos 1:5,8

O batismo no Espírito Santo que Jesus trouxe em Atos, é relacionado à presença do Espírito em nós e nos liga à virtude do mesmo.

Voltando à sequência dos fatos: através da graça Deus nos escolhe, nós nos arrependemos de nossos pecados e Jesus paga o preço para que sejamos perdoados pelo Pai. Jesus então nos batiza com o Espírito Santo para que sejamos cheios do poder do Espírito.

João finaliza este seu testemunho dizendo:

“este é o Filho de Deus.” (João 1:34) e “Eis aqui o Cordeiro de Deus.” (João 1:36)

Com esse testemunho completo, aprendo que precisamos nos arrepender dos nossos pecados. Que a nossa salvação é através da graça, e que precisamos nos arrepender dos pecados. Se isso não acontecer, se eu não nos arrependermos, então jamais conheceremos a Cristo verdadeiramente.

Também aprendo que, quando conhecemos a Cristo, somos batizados no Espírito e isso faz parte do nosso chamado para anunciar o Evangelho.

Paz.

Deixe um comentário