Estudo de Atos 8

Aqui em Atos 8 temos alguns personagens aparecendo que são dignos de ser estudados. Os eventos relatados neste capítulo são:

  • Saulo persegue a igreja (1 a 4)
  • Filipe prega em Samaria (5 a 8)
  • Simão, o mágico, crê e é batizado (9 a 13)
  • Pedro e João oram pelos samaritanos (14 a 17)
  • Simão oferece dinheiro para também poder orar pelas pessoas (18 a 24)
  • Os apóstolos voltam para Jerusalém (25)
  • Filipe apresenta Cristo para o Eunuco (26 a 40)

Dentre estes eventos, vamos entender alguns deles do ponto de vista das pessoas que nos são apresentadas aqui.

Saulo

“E também Saulo consentiu na morte dele. E fez-se, naquele dia, uma grande perseguição contra a igreja que estava em Jerusalém; e todos foram dispersos pelas terras da Judeia e da Samaria, exceto os apóstolos.”

Atos 8:1

Saulo aparece pela primeira vez no capítulo 7, mas é aqui no capítulo 8 onde lemos que ele estava “assolando” a igreja, prendendo diversos discípulos de Cristo.

Porém, vemos também aqui que Saulo foi usado antes mesmo de se converter, pois foi através dele que a igreja começou a se expandir. Quando os cristãos fogem dele é que a Palavra começa a ser levada também para a Judeia e para a Samaria.

Muitas vezes, como já falei aqui no estudo de Atos, Deus usa as coisas que para nós são ruins em nossas vidas, para nos ajudar, para nos levar mais próximos daquilo que Ele deseja para nós.

O conceito de que é bom e do que é ruim é muito difícil de conseguirmos entender pois temos uma visão limitada e temporal das coisas. Deus, que conhece todas as coisas e é eterno, não tem estas limitações. Como criador, Ele consegue enxergar o plano completo, entende tudo o que está acontecendo de um ponto de vista que nós jamais vamos entender.

Para as pessoas da igreja naquela época, provavelmente, ver a perseguição pode ter sido motivo de uma tristeza temporária. Talvez elas ainda não compreendessem o que Deus estava fazendo. A mesma coisa, muitas vezes, acontece conosco.

Filipe

“E, descendo Filipe à cidade de Samaria, lhes pregava a Cristo. E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia, pois que os espíritos imundos saíam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados. E havia grande alegria naquela cidade.”

Atos 8:5-8

Filipe era um dos que foi escolhido como diácono em Atos 6. Assim como vimos com Estêvão, os diáconos estavam fazendo muito barulho no mundo. O trabalho de evangelização, realização de sinais e milagres não estava apenas com os apóstolos, mas com todos aqueles que se dispuseram a servir.

“E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te e vai para a banda do Sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserto. E levantou-se e foi … E disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro. E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías e disse: Entendes tu o que lês?”

Atos 8:26-27a,29-30

Note o padrão que também começamos a ver com Estêvão: obediência ao Espírito Santo. Tanto um como outro, apesar de serem diáconos, estavam também servindo no ministério da Palavra, realizando milagres, curando as pessoas e expulsando demônios.

Porém o que me chama mais a atenção aqui é como ambos estavam submissos ao Espírito Santo. Note que Deus manda que Filipe saia de Jerusalém e vá para Gaza, um lugar deserto e que a resposta dele é, simplesmente, aceitar. Após isso, Deus manda que ele vá até o carro onde esta o oficial Etíope. Lemos que então Filipe corre, uma ação clara de quem obedece, ouve o que o Etíope está lendo e a faz a pergunta “Entendes tu o que lês?”.

Se queremos causar impacto na vida das pessoas, precisamos obedecer o Espírito Santo.

Samaritanos

Antes de ser enviado para Gaza, Filipe prega a palavra em Samaria.

“E as multidões unanimemente prestavam atenção ao que Filipe dizia, porque ouviam e viam os sinais que ele fazia,”

Atos 8:6

Se você têm acompanhado o blog, vai se lembrar do Estudo do evangelho de João, onde falamos sobre o encontro de Jesus com a mulher Samaritana.

Todas as vezes que falamos sobre os Samaritanos é importante que nos lembremos da relação deles com o povo de Israel.

Uma história muito longa e complexa, explicada da maneira mais resumida possível é: os samaritanos se consideravam também filhos de Israel, e realmente eram. Porém os judeus não consideravam este povo como verdadeiros israelitas pois, no passado, eles haviam se misturado com outros povos.

Sendo assim, o relacionamento destes dois povos nunca foi bom. Quando Filipe vai pregar em Samaria, isso era mais uma afronta aos judeus, que já perseguiam a igreja de Cristo por vários outros motivos. Levar o evangelho para Samaria, dizendo que aquela era a vontade de Deus dada através de Seu filho Jesus, era uma afronta sem tamanho para os religiosos.

Simão, o mágico

Em Samaria, conhecemos Simão, o mágico.

Este era um enganador, que havia ganhado dinheiro e fama naquela região por conta de sua arte. Porém, tocado através da pregação de Filipe, ele se converte e é batizado, passando a ser mais um discípulo de Cristo.

Quando os apóstolos Pedro e João vão para Samaria para acompanhar o que estava acontecendo e começam a orar para que as pessoas recebessem o Espírito Santo, Simão lhes oferece dinheiro para que ele tivesse o mesmo dom. Lemos:

“E estava ali um certo homem chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica e tinha iludido a gente de Samaria, dizendo que era uma grande personagem; E creu até o próprio Simão; e, sendo batizado, ficou, de contínuo, com Filipe e, vendo os sinais e as grandes maravilhas que se faziam, estava atônito. E Simão, vendo que pela imposição das mãos dos apóstolos era dado o Espírito Santo, lhes ofereceu dinheiro, dizendo: Dai-me também a mim esse poder, para que aquele sobre quem eu puser as mãos receba o Espírito Santo.”

Atos 8:9,13,18-19

A dura repreensão de Pedro para Simão nos mostra o quão ruim foi esta atitude deste que, antes, era um mágico.

Na minha opinião, o erro de Simão foi o de não entender o todo. Ele ouviu a Palavra através de Filipe, viu os milagres acontecendo, as pessoas sendo curadas, demônios sendo expulsos e, por fim, o Espírito Santo batizando as pessoas.

Em sua vida ele havia conhecido coisas do tipo como uma fonte de renda, uma maneira de ganhar fama e seguidores. O problema foi ele não ter se livrado esse tipo de pensamento e continuado acreditando que Filipe e os apóstolos faziam a mesma coisa.

A história de Simão nos dá diversas lições. Uma delas é a de que tudo o que pensamos, conhecemos e fazemos deve ficar para trás quando nos chegamos a Cristo. Aquilo que vivemos no passado passa a não ter mais importância. A maneira como pensamos, como enxergamos a vida, como olhamos para as pessoas, deve mudar radicalmente.

Quando tentamos levar para dentro da vida com Cristo a nossa maneira de pensar do passado, vamos entender tudo errado. Da mesma maneira como aconteceu com Simão.

O eunuco

Por fim, aqui no capítulo 8 de atos, conhecemos também o eunuco, oficial Etíope. A Palavra não nos diz qual o nome desta pessoa.

Aqui precisamos entender que, a região controlada pelas Candace (título dado à rainha dessa origem) era uma região no norte da África, relativamente próxima de Gaza. Este oficial era responsável pelos tesouros dela, ou seja, uma pessoa importante naquele reino.

Ele havia subido para Jerusalém para adorar e, por algum motivo, tinha uma cópia do texto de Isaías, o qual ia lendo na sua volta para casa. O fato dele ter um texto de Isaías é interessante pois isso era reservado para pouquíssimas pessoas, que tivessem muitas condições. Além disso, o fato dele ser um eunuco também nos fala bastante sobre como ele era visto pelos judeus.

“E o anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: Levanta-te e vai para a banda do Sul, ao caminho que desce de Jerusalém para Gaza, que está deserto. E levantou-se e foi. E eis que um homem etíope, eunuco, mordomo-mor de Candace, rainha dos etíopes, o qual era superintendente de todos os seus tesouros e tinha ido a Jerusalém para adoração, regressava e, assentado no seu carro, lia o profeta Isaías. E disse o Espírito a Filipe: Chega-te e ajunta-te a esse carro. E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse: Como poderei entender, se alguém me não ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse.”

Atos 8:26-31

Mesmo com todas estas condições, Deus pede que Filipe vá lá pregar e batizar exclusivamente uma única pessoa. Uma pessoa desprezada pelos religiosos por conta da vida que levava e das condições em que vivia.

O quanto isso fala conosco hoje?

Desafio do capítulo

O desafio do capítulo de hoje é responder a esta última pergunta que fiz: o quanto o fato de Deus ter levado Filipe para pregar para o eunuco fala conosco? O que você aprende com isso?

Deixe um comentário