Estudo de Atos 7

Atos 7 é uma continuação direta dos acontecimentos de Atos 6.

Caso você não se lembre do que falamos no estudo de Atos, capítulo 6, a igreja estava crescendo, alguns diáconos foram estabelecidos e Estêvão era um deles. Estêvão apresentava as boas novas com ousadia e sinais. Então alguns religiosos armam uma cilada para o prenderem.

Aqui neste capítulo 7 veremos:

  • A defesa de Estêvão
  • Estêvão acusa os religiosos
  • Estêvão é assassinado diante de Saulo

Vamos ver alguns pontos que mais chamam a atenção neste capítulo.

A defesa de Estêvão

“E disse o sumo sacerdote: Porventura, é isto assim? E ele disse: Varões irmãos e pais, ouvi. O Deus da glória apareceu a Abraão, nosso pai, estando na Mesopotâmia, antes de habitar em Harã,”

Atos 7:1,2

Aqui temos um resumo de muitos dos eventos do Velho Testamento. Estêvão mostra seu conhecimento e vai apresentando diversas vezes onde o povo de Israel fez algo de errado.

No verso 9 ele fala sobre como os patriarcas, por inveja, vendem José aos Ismaelitas e, consequentemente, para o Egito. No verso 25 mostra como os israelitas não compreenderam o que Moisés estava fazendo. No verso 39 ele mostra como, apesar de terem sido libertos, a desobediência do povo os fez ficarem presos no Egito espiritual. Por fim, no verso 43, ele reforça os erros do povo de Israel.

Com este relato em forma de resumo, ele vai mostrando para aquela audiência que os patriarcas e toda a geração de Israel tinha um histórico de se desviar claramente da vontade do Pai. Isso serve de prelúdio para a acusação que ele faria mais adiante.

Também mostra, de maneira muito importante, que aqueles que foram levantados para libertar o povo de Isreal, foram constantemente rejeitados. Aconteceu com José e com Moisés, por exemplo. Ele usa isso como base para mostrar que Jesus, que veio para libertar o povo, também foi rejeitado pelos religiosos.

A acusação

“Homens de dura cerviz e incircuncisos de coração e ouvido, vós sempre resistis ao Espírito Santo; assim, vós sois como vossos pais. A qual dos profetas não perseguiram vossos pais? Até mataram os que anteriormente anunciaram a vinda do Justo, do qual vós agora fostes traidores e homicidas; vós que recebestes a lei por ordenação dos anjos e não a guardastes.”

Atos 7:51-53

Então ele faz a acusação clara para aqueles religiosos: vocês não estão querendo enxergar a verdade óbvia de que Deus enviou Jesus, Seu filho, o Cristo, para salvar todas as pessoas. Ele clama dizendo que eles estavam, mais uma vez, resistindo ao Espírito Santo.

Ele estava mostrando que o padrão estava se repetindo: o povo escolhido por Deus, rejeitando o libertador.

Estêvão dá ênfase no final deste apelo dizendo “vocês receberam a lei como uma ordem a ser seguida, mas não a seguem.”. Lemos então o que acontece com ele:

“Mas ele, estando cheio do Espírito Santo e fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus e Jesus, que estava à direita de Deus, e disse: Eis que vejo os céus abertos e o Filho do Homem, que está em pé à mão direita de Deus.”

Atos 7:55,56

Estêvão, ao que tudo indica, não havia tido ainda um encontro pessoal com Jesus, o que acontece apenas agora, no final de sua vida. Foi por estar cheio do Espírito Santo, por permanecer em obediência e para a glória de Deus que lhe foi permitido ver os céus abertos.

Estêvão é morto

A acusação de Estêvão faz com que os religiosos que o estavam acusando fiquem furiosos, num nível que chega a ser assustador.

“Mas eles gritaram com grande voz, taparam os ouvidos e arremeteram unânimes contra ele. E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas vestes aos pés de um jovem chamado Saulo.”

Atos 7:57,58

Tal qual como Cristo, Estêvão foi injustamente acusado, foi usado um suborno para lhe fazer mal, foi acusado pelos religiosos, assassinado, entrega sua vida para Deus e perdoa aqueles que estão lhe fazendo mal. As ligações entre as duas histórias são muito claras. Neste caso dizemos que Estêvão é um tipo (no sentido de tipologia) de Cristo.

As palavras finais de Estêvão

Ao final de tudo, enquanto era apedrejado, Ele afirma:

“E apedrejaram a Estêvão, que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito. E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.”

Atos 7:59,60

Mesmo no momento final ali, Estêvão continua imitando Cristo.

Para receber este privilégio, algumas coisas foram necessárias para Estêvão:

  • Ele não se preocupou se estava ou não desagradando aos poderosos religiosos, ele escolheu falar a verdade
  • Ele não teve medo das consequências de obedecer a Deus
  • Ele não se limitou ao que tinha sido destacado para fazer
  • Ele foi fiel até o fim
  • Ele estava cheio do Espírito Santo
  • No que foi, provavelmente, o momento de maior dor de sua vida, ele escolheu perdoar aqueles que o feriram

O apelo que fica aqui para nós é o de seguirmos o exemplo de Estêvão em todos estes pontos. Olharmos para a vida dele como um modelo no qual podemos nos espelhar.

Desafio do capítulo

O desafio de hoje é: escolha um dos itens da lista acima e diga por que isso foi importante e como você analisa sua vida em relação a isso. Comente aqui o que aprendeu com isso.

Deixe um comentário