Estudo de Gênesis 33

No estudo de Gênesis 33, vemos o reencontro de Jacó e Esaú após algumas décadas sem se verem.

  • O reencontro de Jacó e Esaú (1 a 7)
  • O presente de Jacó (8 a 11)
  • Esaú volta para Seir (12 a 16)
  • Jacó chega em Siquém (17 a 20)

Veremos alguns destes assuntos.

VÍDEO DO ESTUDO DE GÊNESIS 33

O reencontro de Jacó e Esaú

Neste capítulo Jacó e Esaú se reencontram. Após passar pelo vau de Jaboque, Jacó olha e vê Esaú vindo com 400 homens. Com isso, ele organiza a sua família de maneira que ele ficasse na frente, seguido das servas de Lia e Raquel com seus filhos, Lia e, mais para o final, Raquel e José.

Isso já demonstrava o favorecimento dele para com Raquel e José, uma vez que ele os deixou mais distante de uma possível situação de confronto com o seu irmão. Existe a possibilidade dessa situação já ter começado a chatear seus irmãos que, mais pra frente, vão manifestar esse descontetamento.

Pouco antes de se encontrar com Esaú, lemos:

“E ele mesmo passou adiante deles e inclinou-se à terra sete vezes, até que chegou a seu irmão. Então, Esaú correu-lhe ao encontro e abraçou-o; e lançou-se sobre o seu pescoço e beijou-o; e choraram.”

Gênesis 33:3,4

Essa atitude de se inclinar à terra e os presentes que havia enviado mostram como Jacó estava encarando seu irmão como alguém superior a ele, além de apaziguar uma possível ira que seu irmão ainda tivesse.

Também vemos que todo o rancor de Esaú havia sido esquecido, e ele estava feliz em reencontrar seu irmão.

Aprendo aqui que uma atitude humilde é uma boa estratégia para apaziguar brigas e iniciar relacionamentos. A bíblia nos ensina isso em diferentes textos, sendo que, para mim, o de maior destaque é o seguinte:

“Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo.”

Filipenses 2:3

O presente de Jacó

Vemos também que Esaú quase não aceita o presente que Jacó havia enviado mas, pela insistência do irmão, Esaú acaba aceitando:

“Então, disse Jacó: Não! Se, agora, tenho achado graça a teus olhos, peço-te que tomes o meu presente da minha mão, porquanto tenho visto o teu rosto, como se tivesse visto o rosto de Deus; e tomaste contentamento em mim.”

Gênesis 33:10

Interessante notar aqui como é diferente a atitude de Esaú da atitude de Labão. Labão, quando ouve que Isaque era herdeiro de todas as coisas de Abraão, logo demonstra um interesse na situação. Quando vê que Deus está abençoando Jacó, insiste que o sobrinho permaneça com ele. Já Esaú, ao receber os presentes do irmão, os recusa por já ser possuidor de muitos bens.

A ganância não deve estar presente em nossas vidas. Devemos saber viver com o que Deus tem colocado em nossas mãos, sempre abençoando as pessoas de diversas maneiras.

Jacó em Siquém

Apesar da insistência de Esaú para que Jacó fosse visitá-lo, Jacó permanece em Siquém.

“E chegou Jacó salvo à cidade de Siquém, que está na terra de Canaã, quando vinha de Padã-Arã; e fez o seu assento diante da cidade. E comprou uma parte do campo, em que estendera a sua tenda, da mão dos filhos de Hamor, pai de Siquém, por cem peças de dinheiro. E levantou ali um altar e chamou-lhe Deus, o Deus de Israel.”

Gênesis 33:18-20

Alguns estudiosos argumentam que Jacó deveria ter ido, pelo menos, até Betel, dado que a proximidade de Siquém acabou se provando desastrosa para sua família, como veremos no capítulo 34.

Também vemos aqui como a adoração ao Senhor, o reconhecimento de quem Ele é e o louvor, reconhecendo Seus feitos, se torna algo muito presente na vida de Jacó. Assim como havia feito anteriormente, aqui ele ergue um altar de adoração.

Novamente, precisamos fazer a mesma coisa, estabelecendo altares de adoração ao Senhor em nossas vidas. Precisamos reconhecer que Ele é o nosso provedor e nosso ajudador em todo o tempo.

❗ Você sabia? ❗


Existem formas de você aprender ainda mais sobre a palavra:

Deixe um comentário