Estudo de Gênesis 17

No capítulo 17 de Gênesis vemos a mudança de nome de Abrão e Sarai, a reafirmação da promessa e a instituição da circuncisão. Certamente existem muitos assuntos que podemos estudar aqui.

O capítulo está dividido da seguinte forma:

  • A mudança de nome de Abrão para Abraão (1 a 6)
  • O concerto de Deus com o Abraão e sua casa (7 a 14)
  • A mudança de nome de Sarai (15 e 16)
  • Deus fala sobre Isaque (17 a 22)
  • Abraão circuncida a todos em sua casa (23 a 27)

Veremos alguns destes pontos.

Anda em minha presença

O capítulo começa com uma fala muito importante do Senhor para Abraão:

“Sendo, pois, Abrão da idade de noventa e nove anos, apareceu o Senhor a Abrão e disse-lhe: Eu sou o Deus Todo-Poderoso; anda em minha presença e sê perfeito.”

Gênesis 17:1

O Senhor diz para Abraão: “anda em minha presença e sê perfeito”. Aqui nos lembramos de que a perfeição, o sucesso, a realização, uma vida plena, só encontramos no Senhor. Não é nas nossas posses, não é no que podemos fazer, não é na família ou no trabalho. Nossa carreira não nos faz completos, nossas posses são passageiras, nossa saúde se esvai. Só encontramos verdadeira plenitude no Senhor.

A palavra traduzida como “perfeito”, vem do hebraico תָּמִים (tāmîm), que pode também ser traduzida como “completo” e “inteiro”. Somos completos apenas se nos mantivermos andando na presença de Deus.

Isso era especialmente importante para Abraão, uma vez que ele se tornaria o pai de uma nação inteira que viveria para o Senhor. As outras nações, todas descendentes de Noé, haviam se desviado para seus próprios caminhos, adorando deuses falsos e completamente distantes de andarem na presença de Deus. Pelo contrário, o que elas fizeram foi tentar se esconder, se afastar da presença de Deus.

Só conseguimos ser corretos se andarmos diante de Deus. As nações que, costumeiramente, se desviavam de Deus.

Neste primeiro versículo, Deus também se revela como “o Deus Todo-Poderoso”, o “El Shaddai”. Esse é mais um dos nomes pré-mosaicos pelos quais Deus se revela ao seu Povo. Falamos sobre esse assunto dos nomes de Deus no estudo de Gênesis 15.

Minha aliança, Meu concerto

Este é um capítulo onde vemos as palavras “meu concerto”, “meu pacto”, “minha aliança”, repetidas vezes. A sua tradução da bíblia provavelmente está usando uma destas três opções. Veja, por exemplo, o versículo 2:

“Estabelecerei a minha aliança entre mim e você e multiplicarei muitíssimo a sua descendência.”

Gênesis 17:2

Neste capítulo, o autor quis enfatizar a importância da aliança de Deus com Abraão e como isso impactaria totalmente toda a sua geração, todo o povo de Israel. A aliança era justamente essa: Abraão seria pai de uma multidão de nações. Isso significa que dele surgiriam diversas nações e não apenas um povo.

Lembre-se, tudo isso foi escrito muito tempo após a vida de Abraão, com o intuito de ensinar ao povo de Israel sobre as verdades referentes ao Deus Todo-poderoso a quem serviam. Por isso, essa ênfase na aliança eterna, de que Deus formaria, a partir de Abrãao, um povo para Ele, é tão importante.

Após isso vemos que Deus muda o nome de Abrão para Abraão:

“Quanto a mim, eis o meu concerto contigo é, e serás o pai de uma multidão de nações.
E não se chamará mais o teu nome Abrão, mas Abraão será o teu nome; porque por pai da multidão de nações te tenho posto.”

Gênesis 17:4,5

A mudança de nome reflete exatamente a aliança, pois Abraão significa “pai de multidões”.

A circuncisão

Para declarar a aliança, Deus estabelece um sinal:

“Disse mais Deus a Abraão: Tu, porém, guardarás o meu concerto, tu e a tua semente depois de ti, nas suas gerações. Este é o meu concerto, que guardareis entre mim e vós e a tua semente depois de ti: Que todo macho será circuncidado.”

Gênesis 17:9,10

A circuncisão era comum entre vários povos antigos. Existem relatos de diferentes partes do mundo conhecido na Bíblia de povos que tinham essa prática. A circuncisão foi a maneira que Deus escolheu para que Seu povo fosse conhecido. Quem não recebesse a circuncisão, não era considerado do povo de Deus.

Abraão ri da promessa

Ainda neste capítulo vemos que Abraão ri da promessa de Deus:

“Disse Deus mais a Abraão: a Sarai, tua mulher, não chamarás mais pelo nome de Sarai, mas Sara será o seu nome. Porque eu a hei de abençoar e te hei de dar a ti dela um filho; e a abençoarei, e será mãe das nações; reis de povos sairão dela. Então, caiu Abraão sobre o seu rosto, e riu-se, e disse no seu coração: A um homem de cem anos há de nascer um filho? E conceberá Sara na idade de noventa anos?”

Gênesis 17:15-17

Após saber que sua esposa teria um filho, e que esse seria o filho através do qual a promessa se cumpriria, Abraão desdenha, rindo.

Li um teólogo dizendo que esse riso de Abraão foi de júbilo, de alegria, enquanto o de Sara, no capítulo 18, foi de desprezo. Porém, a palavra é a mesma nos dois textos e o contexto não dá entender isso. Pelo contrário, o contexto nos diz que Abraão estava fazendo pouco caso do que Deus estava falando. Basta olharmos para o versículo seguinte:

“E disse Abraão a Deus: Tomara que viva Ismael diante de teu rosto!”

Gênesis 17:18

Não crendo na promessa, Abraão torce para que Ismael viva e que a promessa se cumpra através dele. Não estou dizendo que estou certo, apenas que minha opinião, olhando para o texto original e para o contexto, é diferente da dessa pessoa.

Com isso, aprendemos algumas lições:

  1. Temos sempre que aprender com várias pessoas, ouvir opiniões diferentes, mas chegarmos à conclusão mais bíblica possível. Quanto mais estudamos a Palavra, mais a entendemos;
  2. Não estamos livres de uma interpretação errada das escrituras. Por mais que estudemos, precisamos manter a humildade de admitir que não sabemos tudo e que podemos errar;
  3. Podemos ter opiniões diferentes e ainda sermos irmãos, nos respeitarmos e amarmos uns aos outros. Esse teólogo que entende que o riso de Abraão foi de júbilo, ainda é uma pessoa extremamente sábia e profunda conhecedora das escrituras. Só tem uma opinião diferente da minha num assunto menor, que não é fundamental para a nossa fé.

Continuando na leitura do texto, vemos que, apesar de desdenhar da promessa, rapidamente Abraão circuncida todas as pessoas de sua casa:

“E acabou de falar com ele e subiu Deus de Abraão. Então, tomou Abraão a seu filho Ismael, e a todos os nascidos na sua casa, e a todos os comprados por seu dinheiro, todo macho entre os homens da casa de Abraão; e circuncidou a carne do seu prepúcio, naquele mesmo dia, como Deus falara com ele.”

Gênesis 17:22,23

Isso nos mostra que, apesar de rir do que Deus havia falado, Abraão rapidamente retoma sua postura e vai executar o que Deus havia pedido. Apesar de sincero, às vezes até de maneira desrespeitosa na minha opinião, Abraão se manteve obediente, entendendo que Deus é o Senhor na relação.

Desafio do capítulo

Hoje seu desafio é deixar um comentário falando sobre o que mais você aprendeu neste capítulo que não falamos aqui no post.


❗ Você sabia? ❗

Existem formas de você aprender ainda mais sobre a palavra:

2 comentários em “Estudo de Gênesis 17”

Deixe um comentário