Estudo de 2 Tessalonicenses – Capítulo 2

O capítulo 2 desta segunda carta de Paulo aos Tessalonicenses foca mais claramente no retorno de Cristo. Como disse anteriormente, essa igreja ainda tinha dúvidas sobre esse assunto.

Neste capítulo, veremos Paulo falando sobre:

  • Paulo pede que a igreja não se perturbe pensando que o dia da volta de Cristo estava próximo (1 e 2)
  • Paulo os lembra de algumas coisas que já havia falado (3 a 5)
  • A vitória de Deus e o julgamento dos iníquos (6 a 12)
  • Paulo pede que eles fiquem firmes no que lhes foi ensinado (13 a 15)
  • A oração de Paulo pela igreja (16 e 17)

Vamos falar sobre alguns destes pontos.

Quando Cristo vai voltar?

Alguns especulam que a igreja de Tessalônica havia recebido uma outra carta, como se fosse de Paulo, falando sobre o assunto da volta de Cristo e isso os teria deixado confusos. Independente do motivo, o fato é que eles ainda não tinham um entendimento claro do que seria o retorno de Cristo. Alguns deles, como vemos no versículo 2, acreditavam que esse dia estava próximo.

“Ora, irmãos, rogamo-vos, pela vinda de nosso Senhor Jesus Cristo e pela nossa reunião com ele, que não vos movais facilmente do vosso entendimento, nem vos perturbeis, quer por espírito, quer por palavra, quer por epístola, como de nós, como se o Dia de Cristo estivesse já perto.”

2 Tessalonicenses 2:1,2

O texto de Paulo realmente deixa aberto para o entendimento de que eles talvez tivessem recebido uma outra carta, como se fosse de Paulo. Tomando conhecimento sobre a falta de entendimento daquela igreja sobre o assunto, Paulo é muito direto:

“Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,”

2 Tessalonicenses 2:3

Paulo deixa muito claro: Cristo ainda não voltou. Antes de Cristo voltar veremos alguns eventos, que serão muito claros e, só então, teremos o retorno do Senhor.

Naquela igreja, como disse antes nos nossos estudos de Tessalonicenses, algumas pessoas acreditavam que o retorno de Cristo estava tão próximo que já tinham até mesmo deixado de trabalhar. Paulo está deixando muito claro que isso ainda não havia acontecido e que, ao que tudo indicava, também não estava perto.

Aqui temos uma divisão de entendimento. Algumas pessoas gostam de examinar o texto, procurando todos os detalhes sobre a volta de Cristo, tentando entender os tempos e procurando saber quando Cristo vai voltar para formulando teorias. Outras não focam tanto neste assunto e tentam pegar outros aprendizados.

No meu ponto de vista, não temos como falar da volta de Cristo, sem falarmos de Mateus 24. Lá, lemos algo muito importante sobre este assunto:

“Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai.”

Mateus 24:36

Aprendo então, com este texto e com os escritos de Paulo, que ninguém sabe o dia certo, a hora em que Cristo voltará. Isso já me tira um pouco o desejo de me aprofundar muito no assunto, tentando formular teorias sobre quando Cristo vai voltar.

Aliás, esse foi o erro da igreja de Tessalônica: por acreditarem que Cristo estava muito próximo de voltar, alguns mudaram suas atitudes, outros de desesperaram e deixaram de focar naquilo que realmente importava. O texto de Mateus 24 nos diz exatamente o que devemos fazer a respeito desse assunto:

“Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.”

Mateus 24:42

A resposta então é simples e pode se dividir em três partes:

  1. Cristo vai voltar: esta é a nossa esperança, será a partir da volta de Cristo que os salvos serão separados daqueles que não se salvarem e a igreja será chamada para a vida eterna. Quanto ou em qual ordem as coisas vão acontecer, é de menor importância, na minha opinião.
  2. Ninguém sabe quando isso vai acontecer: o que reforça que isso não é tão importante assim, como disse no ponto anterior
  3. Até que isso aconteça, devemos vigiar: é isso que Jesus nos ensina, é isso que devemos fazer. Como cristãos que têm esperança na volta de Cristo, mas que não sabem quando isso vai acontecer, tudo o que podemos fazer é perseverarmos naquilo que Ele nos ensinou e continuar dazendo a nossa parte.

Paulo mesmo diz isso aos Tessalonicenses:

“Então, irmãos, estai firmes e retende as tradições que vos foram ensinadas, seja por palavra, seja por epístola nossa.”

2 Tessalonicenses 2:15

O apóstolo estava pedindo que eles simplesmente ficassem firmes, praticando tudo aquilo que haviam aprendido dele. Não havia o motivo para desespero, para deixar de trabalhar ou para temer. A volta de Cristo será clara, todos saberão dela, é a nossa esperança e não saberemos quando vai acontecer.

A oração de Paulo

Paulo termina esta parte de sua segunda carta com uma breve oração por aquela igreja:

“E o próprio nosso Senhor Jesus Cristo, e nosso Deus e Pai, que nos amou e em graça nos deu uma eterna consolação e boa esperança, console o vosso coração e vos conforte em toda boa palavra e obra.”

2 Tessalonicenses 2:16,17

Após reconhecer que Deus nos amou, que pela graça nos deu consolação e que é a fonte de nossa esperança, ele pede que Deus console o coração daquelas pessoas e os conforte na palavra e na obra.

Aprendo algumas coisas aqui. A primeira é que, assim como Jesus ensinou, nossas orações precisam começar glorificando, adorando e louvando ao Senhor.

A segunda é que nossas orações não precisam ser repetitivas ou longas. Paulo faz uma breve oração por eles aqui. Direta e simples.

Por fim, aprendo que a consolação dos nossos problemas, das nossas dores e perdas, vêm do Senhor. Nele está nossa esperança, nossa paz e a consolação que precisamos nos momentos difíceis da vida.

Para compreender melhor

Para que você se aprofunde no entendimento deste capítulo, deixo aqui duas tarefas simples:

  • Versículo para decorar: “Ninguém, de maneira alguma, vos engane, porque não será assim sem que antes venha a apostasia e se manifeste o homem do pecado, o filho da perdição,” (2 Tessalonicenses 2:3)
  • Desafio do capítulo: coloque aqui nos comentários outros textos da Palavra que falam sobre a volta de Cristo.

Paz.

Deixe um comentário