Versículo

Quem entendeu a mensagem?

Bíblia aberta
André
Escrito por André

“Portanto, és inescusável quando julgas, ó homem, quem quer que sejas, porque te condenas a ti mesmo naquilo em que julgas a outro; pois tu, que julgas, fazes o mesmo.” (Romanos 2:1)

Eu já tentei, mas não consigo passar por esse texto sem parar nele e refletir sobre minhas próprias ações. Na realidade, todos nós deveríamos fazer isso com diversos textos da Palavra.

Paulo nos ensina que nos tornamos indesculpáveis quando julgamos as pessoas. Aqui temos duas reflexões importantes.

A primeira é que não temos justificativa alguma para julgar os outros e, se julgamos, não temos como nós desculpar com Deus sobre isso. Você consegue entender o tamanho disso?

Não creio que Paulo esteja dizendo que, quem julga, está condenado, mas sim que não existe justificativa alguma para o julgamento. Ou seja, se julgamos, o único caminho que temos é o de pedir perdão, pois pecamos. Não existe o caminho de tentar argumentar sobre os motivos, explicar ou qualquer coisa do tipo.

O segundo ponto interessante desse texto é que ele diz que não devemos julgar “quem quer que seja”. Veja como é amplo o ensinamento de Paulo: não podemos julgar ninguém.

Sabe aquela pessoa que fez algo terrível? Que assassinou alguém apenas por prazer? Não julgue. Aquela pessoa que fez um mal terrível para você? Não julgue.

Aqui novamente, Paulo não está dizendo que estas pessoas não precisam que as leis dos homens se apliquem a elas. Isso seria contraditório com outros textos da Palavra que ele mesmo escreveu. Basta continuarmos nessa mesma carta, no capítulo 13, versículo 1.

O ponto de Paulo é que nós não podemos julgar às pessoas. Se formos julgar alguém, que sejamos a nós mesmos, as nossas atitudes, pensamentos e obras. Nunca aos outros.

Por fim, Paulo ainda nos ensina, em um único versículo, que julgamos as coisas que nós mesmos fazemos.

E aqui dividimos as pessoas que entenderam a mensagem de Paulo e as que não entenderam.

Quem não entendeu pensará da seguinte maneira: “mas eu nunca matei ninguém, é um absurdo colocar fim à vida de uma pessoa”. Para quem pensou assim, gostaria de lembrar de outro texto da Palavra:

“Qualquer que odeia a seu irmão é homicida. E vós sabeis que nenhum homicida tem a vida eterna permanecendo nele.” (1 João 3:15)

É possível fazer a mesma reflexão com uma série de outros textos, tornando-nos indesculpáveis por julgar e condenando-nos por fazermos as mesmas coisas que julgamos.

Quem entendeu a mensagem já está pedindo perdão e auxílio de Deus para amar verdadeiramente às pessoas.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário