Os muros de Rabá

“Por isso, meterei fogo aos muros de Rabá, fogo que consumirá os seus castelos, com alarido no dia da batalha, com turbilhão no dia da tempestade.” (Amós 1:14)

Antigamente quase todas as cidades eram delimitadas e protegidas por muros. Quanto mais fortes e imponentes eram estes muros, maior era a importância da cidade.

Estes muros impediam o ataque de invasores e a cidade de ser saqueada facilmente. Sentinelas eram colocados nos muros para avisar sobre possíveis inimigos que se encaminhassem para a cidade. Dentro de seus muros, os cidadãos se sentiam protegidos.

Era também um pouco comum que as cidades maiores tivessem seu próprio castelo, que seguia o mesmo padrão do muro: quão maior e mais imponente, assim era a importância da cidade.

Porém, neste versículo de Amós, Deus deixa bem claro o que faria com os muros de Rabá, principal cidade dos amonitas.

Ignorando a importância e imponência destes muros, Ele simplesmente destruiria tudo, como se fosse palha seca, que queima com qualquer faísca.

O que Deus ilustra aqui é que nossa segurança, nossa fortaleza, não está no que construímos para nós ou nas coisas terrenas. Ele, o Senhor todo poderoso, é nossa real fonte de segurança, de cuidado e de proteção.

Qual tem sido a sua fortaleza? É o seu emprego, o seu salário, suas economias, seu cônjuge?

Paz.

Deixe um comentário