Música

Idolatria cristã

Show
André
Escrito por André
Galera, o texto de hoje é mais uma reflexão minha do que qualquer coisa séria. Logo, se o que eu estiver falando for uma asneira sem tamanho, podem ignorar ok?

Eu acompanho música cristã há muitos anos. Vi centenas de bandas nascerem, fazerem sucesso e morrerem. Vi outras tantas promessas sumirem do mapa. Alguns que nem eram tão bons, mas que pareciam ter futuro, simplesmente desapareceram. Isso acontece na música em geral, em qualquer lugar.

Desses, os que mais me preocupam são os que fazem sucesso. Sucesso e cristianismo são duas coisas que, quando estão juntas, costumam dar problemas.

Por um lado os problemas acontecem para as pessoas que chegam ao sucesso. Não deve ser fácil ver tantas pessoas olhando para o que você faz e permanecer humilde como Jesus foi. Deve ser muito difícil aguentar a pressão de todos, as horas intensas de trabalho e as viagens sem fim. Provavelmente é por esse motivo que vimos tantos artistas seculares se enfiarem em diversos tipos diferentes de vícios (alguém me explica como o Ozzy ainda está vivo).

Dentro desse subconjunto, preocupam-me ainda mais os que admiram o trabalho dessas pessoas que fazem sucesso. Muitos de nós não aprendemos ainda a diferença entre admiração e idolatria. Assim, o que se inicia como o apreço pelo trabalho de alguém, passa muito rapidamente para algo que eu não tenho certeza se é ou não o sentimento mais cristão que podemos ter.

Quando isso acontece tudo o que a pessoa admirada faz nos impacta: se ela faz algo bom, estamos bem, se ela faz algo de errado ficamos nervosos, tristes ou até mesmo “perdemos a linha”. Passamos a depositar na pessoa um conjunto de expectativas que é quase desonesto com ela, pois ela certamente não vai aguentar.

Já vi alguns casos, não poucos, de pessoas que fizeram algumas coisas que, na minha opinião, são estranhas. Ouvi, por exemplo, de uma fã que se atirou aos braços de um artista cristão famoso para lhe dar um beijo na boca. Outra que chorou em rede nacional ao encontrar com a cantora que amava. Teve também o caso de um homem que perseguiu uma cantora cristã nas redes sociais e chegou a ir até a igreja dela, dizendo que ela era a escolhida de Deus para ele. Eu não sou ninguém para julgar os outros, mas tenho que admitir que fico preocupado.

Acredito ainda que a minoria esteja nesse caminho preocupante, mas o aumento expressivo de sites de fofocas sobre cristãos e de vídeos no youtube sobre o assunto, colocam um circo de pulgas atrás de minha orelha.

Para não tornar o texto muito longo, gostaria de finalizar com o seguinte texto:

“E um deles, doutor da lei, interrogou-o para o experimentar, dizendo: Mestre, qual é o grande mandamento na lei? E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento.” (Mateus 22:35-38)

Existe um único que é digno de toda nossa honra, glória e louvor. Só Ele tem todos os nossos pensamentos. Podemos admirar as pessoas, mas devemos tomar muito cuidado para não deixarmos isso passar do limite.

Eu sempre tento terminar os meus posts com um apelo então, só para não mudar o costume, meu apelo hoje é para que você adore a Deus por alguns minutos. Após isso, faça uma reflexão honesta, humilde e comente aqui embaixo.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

2 Comentários

    • Olá Brenda, obrigado pelo comentário, você foi a primeira a atender o meu pedido deste post.

      O ponto é justamente esse: qual é o limite? Cada um tem um limite diferente e esse é um ponto muito delicado. Por isso precisamos, constantemente, da direção do Espírito Santo, para não pecarmos.

      Deus abençoe sua vida.

Deixe um comentário