Música

Como foi o Grammy 2017

Adele Grammy 2017
André
Escrito por André

Mais um grammy, mais uma decepção, obviamente. No cenário secular Adele fazendo besteira na apresentação e Beyoncé na lista como forte concorrente. Só esses dois pontos já mereciam um post, mas quero apenas falar do cenário gospel.

Tamela Mann venceu na categoria de melhor música, com a música “God Provides”, de autoria de ninguém menos que Kirk Franklin. A letra da música é linda, a voz da Tamela é perfeita e o instrumental condiz com cada parte da letra. Valeu o prêmio, apesar de existirem outros concorrentes fortes.

Na categoria de melhor música cristã contemporânea o prêmio ficou com Hillary Scott & The Scott Family pela música “Thy Will”, que quer dizer “Tua vontade”. Em menos de duas semanas vamos começar a ver tradunções dessa música aqui nas terras tupiniquins. A música é ok, no máximo, porém é o tipo de música gospel que o grammy gosta de premiar.

Como melhor álbum gospel o vencedor foi “Losing my religion” da lenda Kirk Franklin. O cara é um fenômeno, em tudo o que faz e o álbum só mostra que ele vem crescendo a cada ano. Se você ainda não ouviu o álbum, não perca tempo.

Para a categoria de melhor álbum de música cristã contemporânea, o prêmio ficou também com Hillary Scott & The Scott Family e seu álbum “Love Remains”, mesmo que na concorrência tivéssemos Hillsong Young & Free, mas tudo bem. Vai entender o que esse pessoal do Grammy viu na família Scott.

Para finalizar, na categoria melhor álbum gospel de raiz, o prêmio foi para o álbum “Hymns”, de Joey+Rory. É uma categoria linda, mas pela qual eu não me interesso muito. A versão deles de “It is well with my soul” é belamente gravada, mas é triste de ouvir. Compare com a versão do Hillsong Worship e você vai entender o que estou falando. Não se esqueça de dar uma passada também pela mais bem humorada versão do Jars of Clay.

Quer a coisa mais legal desse grammy? Foi a apresentação do Chance the Rapper com Kirk Franklin e Tamela Mann cantando “How great is our God”. É de cair o queixo:

Certamente o Grammy carece de muitas outras categorias para a música cristã. Porém, considerando algumas das escolhas, é melhor não alimentar essa ideia.

Ok, sei que sempre que falo dessa premiação sou um pouco ácido, mas é que não dá pra aceitar algumas decisões.

Vamos lá, esperando pelo grammy latino, que acontece em Novembro em Las Vegas, o lugar mais latino desse planeta (depois de Miami).

Ahhh, e não esquece de conferir a curta playlist do JC na Veia com os ganhadores do Grammy 2017.

Paz.

 

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário