Música

3 dias com Brooke Fraser – 1º – Infância, início de carreira e conversão

Brooke Gabrielle Fraser, natural de Wellington na Nova Zelândia, nascida em 15 de dezembro de 1983, com apenas 25 anos, é cantora, compositora, líder de grupo de louvor, ganhadora de prêmios musicais e casada.

Brooke é filha de Bernie Fraser (natural de Fiji) e de Lynda Fraser. É a irmã mais velha dos três filhos do casal.

Como já dissemos anteriormente: a história dela é cercada de música desde seu início. Aos 7 anos de idade começou a tocar piano, e teve aulas até os 17. Aos 12 começou a escrever as próprias canções e com 15, cançada das mesmas musiquinhas no piano, começou a tocar violão. Canta como um anjo, mas nunca teve aulas de canto.

O talento dela não se limitou à música. Com 15 anos começou a escrever para a revista “Soul Purpose” e, mais tarde, em 2002, se tornou editora. Ficou pouco tempo nesta função por motivo de sua mudança para Auckland (Nova Zelândia), ainda em 2002 para evoluir em sua carreira musical.

Ainda no mesmo ano, Scotty Pearson (baterista da banda de rock Elemeno P) a apresentou ao produtor Matty J, que se tornou seu agente, mantendo contato com gravadoras que mostraram interesse pelo trabalho dela. No mesmo ano a cantora assinaria com a Sony Music Entertainment New Zealand.

Após despontar vários sucessos, dos quais falaremos mais amanhã, a cantora escreveu um excelente artigo na revista “Soul Purpose”, na qual havia trabalhando há alguns anos. Na estrevista ela fala sobre sua infância e conta que nasceu numa família normal, apesar de seu pai ter tido certa fama no passado como jogador de rugby, antes mesmo dela nascer. A fama, nem grande nem pequena, de seu pai não lhes rendeu dinheiro, uma vez que ná época o rugby ainda não era uma esporte profissional, logo, ela não tinha grandes ilusões com fama e riquezas.

“Eu entendo que uma das razões pelas quais Deus me colocou na minha família, foi para que Ele mesmo não tivesse que, mais tarde, me mostrar a verdade sobre ser famosa.”. falando sobre o fato de que algumas celebridades se acham mais importantes que outras pessoas – Brooke Fraser, Revista Soul Purpose.

Conforme o relato da própria cantora “Eu sempre soube que queria compor e tocar música, mas sentia que minha vida existia por algo mais significativo e não sabia o que era … eu eu me sentia fora do lugar, na minha própria vida … não sabia o que estava errado e nem como consertar .. acabei indo por um mal caminho e pensando que o mundo seria um lugar melhor sem mim.

E continua: “Então Jesus se mostrou para mim … em 1999 … não foi numa igreja, num acampamento ou através das pessoas, mas sim na minha cama, com uma bíblia aberta e uma revelação tangível de que o Filho de Deus não era apenas real, mas estava vivo e era mais maravilhoso e poderoso do que as correntes que me prendiam.

“Eu não tenho a ilusão de ser a salvadora do mundo, mas eu espero que possa fazer uma pequena parte. Prefiro ser considerada uma tola por pensar que posso fazer a diferença do que por não ter feito nada.” – Brooke Fraser, Revista Next, Dezembro de 2006

Para não passar o dia em branco, vamos com um vídeo da música “Albertine”.


 
Amanhã teremos o segundo dia com Brooke Fraser.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário