Mensagem

Instrução e busca, maturidade e meninice

“E Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi levado pelo Espírito ao deserto; E quarenta dias foi tentado pelo diabo, e naqueles dias não comeu coisa alguma; e, terminados eles, teve fome. E disse-lhe o diabo: Se tu és o Filho de Deus, dize a esta pedra que se transforme em pão. E Jesus lhe respondeu, dizendo: Está escrito que nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra de Deus. E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo. E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero Portanto, se tu me adorares, tudo será teu. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Vai-te para trás de mim, Satanás; porque está escrito: Adorarás o SENHOR teu Deus, e só a ele servirás. Levou-o também a Jerusalém, e pô-lo sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te daqui abaixo; Porque está escrito: Mandará aos seus anjos, acerca de ti, que te guardem, E que te sustenham nas mãos, Para que nunca tropeces com o teu pé em alguma pedra. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Dito está: Não tentarás ao Senhor teu Deus. E, acabando o diabo toda a tentação, ausentou-se dele por algum tempo.” (Lucas 22:41-44)

“E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava, 42 Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. 43 E apareceu-lhe um anjo do céu, que o fortalecia. 44 E, posto em agonia, orava mais intensamente. E o seu suor tornou-se em grandes gotas de sangue, que corriam até ao chão.” (Lucas 22:41-44)

Estes textos demonstram dois momentos extremamente difíceis na vida de Jesus. Em ambos vemos que ele sabia exatamente o que fazer.

No Getsêmani Jesus clama ao Pai por uma saída, por um conforto. Busca em Deus alívio e direção para uma situação de dor e dificuldade. É exatamente isso que devemos fazer em nossos momentos de angústia e dor.

Porém, na tentação no deserto Jesus não clama ao Pai por ajuda, mesmo sendo um momento igualmente difícil. Lá Ele sabia exatamente o que fazer. Porém é importante notar o porquê dele saber o que fazer: a Palavra de Deus. Baseado nela Jesus teve tudo o que precisou para sair daquela situação.

Muitas vezes Deus espera que clamemos pelo Seu auxílio. Outras vezes Ele espera que saibamos exatamente o que fazer, pois já fomos instruídos na Palavra. Estas duas situações definem a intimidade e a maturidade do cristão. Intimidade para os momentos em que necessitamos do Pai e maturidade para os momentos em que devemos saber o que fazer.

Maturidade sem intimidade é independência de Deus, o que é péssimo. Intimidade sem maturidade é meninice, o que também é ruim. Devemos saber equalizar estas duas frentes.

“Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus. Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.” (2 Timóteo 3:14-17)

Obrigado a todos que me ajudaram a refinar esta mensagem e continuarão ajudando.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário