Estudo sobre Provérbios 16

Provérbios 16 é ainda uma parte dos Provérbios de Salomão que reúne uma série de ensinamentos distintos. Como já falamos, esse parte do livro de Provérbios vai até o capítulo 22, versículo 16.

Neste capítulo vemos uma diferença no estilo de escrita, onde vemos menos provérbios de contrastes. Lembre-se que nos primeiros capítulos desta parte do livro, vemos muitos provérbios de contraste.

Esta reunião de provérbios do capítulo 16 tem uma característica comum à maioria dos textos, que é a presença de algo relacionado ao Senhor, o que é outra mudança em relação aos capítulos anteriores. Veja os versículos 5 e 20, por exemplo:

“Abominação é ao Senhor todo o altivo de coração; não ficará impune mesmo de mãos postas.”

Provérbios 16:5

“O que atenta prudentemente para o assunto achará o bem, e o que confia no Senhor será bem-aventurado.”

Provérbios 16:20

Esse tipo de alusão a algo relacionado ao Senhor é visto em 11 dos 33 versículos deste capítulo.

Algo que me chamou a atenção neste capítulo são os versos que falam sobre a soberania de Deus, em textos como o do primeiro versículo:

“Do homem são as preparações do coração, mas do SENHOR a resposta da língua.”

Provérbios 16:1

Aqui vemos que, por mais que tenhamos planos e criemos projetos, é o SENHOR quem dá a resposta de todas as coisas. Temos em nós o necessário para criarmos os planos, mas não o efetuar ou o realizar. Isso, deve vir do SENHOR. Este texto conversa diretamente com o que vemos no novo testamento:

“Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”

Filipenses 2:13

É a vontade de Deus que opera através de nós o realizar das boas obras. Não é na nossa força ou capacidade, mas é a partir da vontade de Deus.

Salomão complementa este pensamento no verso 9:

“O coração do homem planeja o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos.”

Provérbios 16:9

Precisamos entender que podemos planejar o caminho, escolher o que vamos fazer, mas dependemos totalmente da graça de Deus para que isso se cumpra.

Então, o primeiro ponto de reflexão aqui é que você pode estar pensando em fazer algo, em criar algo novo, em muda algo na vida. Glória a Deus que nos deu essa capacidade. Só precisamos entender que dependemos dEle para que tudo isso se cumpra.

Essa reflexão deve nos levar a entender que somos dependentes do SENHOR, que é Ele quem nos fortalece e quem nos coloca de pé. E isso tudo, também se relaciona com o que está escrito no versículo 4:

“O Senhor fez todas as coisas para atender aos seus próprios desígnios, até o ímpio para o dia do mal.”

Provérbios 16:4

E é aqui que a cabeça de muitas pessoas fica confusa. O pensamento é o seguinte: “se não tenho em mim o poder para realizar e Deus faz todas as coisas para atender à sua vontade, qual é o meu papel então? Será que Deus está apenas me usando?”.

É claro que, olhando apenas para esta relação dos textos, podemos imaginar algo do tipo. Agora, quando levo em consideração a Palavra como um todo, percebo quão grande ato de amor é um Deus tão grande operar as boas coisas através de nós, criaturas tão falhas.

Para isso, vamos tentar responder algumas perguntas à luz da Palavra:

1 – Como é essa vontade de Deus para a qual ele faz todas as coisas, como está escrito em Provérbios 16:4?

Para isso precisamos levar em consideração o que está escrito em 1 Timóteo 2:

“Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade.”

1 Timóteo 2:3,4

Desde o início dos tempos, o plano de Deus é que as pessoas sejam salvas, que no futuro, na glória, vivamos ao Seu lado pela eternidade. Esse plano nos dá um vislumbre do infinito amor de Deus por nós que, sabendo que não poderíamos nos salvar, preparou todas as coisas e opera através de nós para que isso aconteça.

Então quando Salomão escreve que Deus faz todas as coisas para atender à Sua vontade, está dizendo algo diretamente relacionado com a nossa salvação, com o plano de Deus para o resgate da humanidade das garras do pecado.

2 – Qual é o meu papel nisso tudo então?

Veja como Salomão aborda um pouco disso no verso 3:

“Confia ao Senhor as tuas obras, e teus pensamentos serão estabelecidos.”

Provérbios 16:3

Nosso papel é confiar no SENHOR, entregando tudo em Suas mãos e vivendo para a glória dele. Essa parte é nosso papel. Podemos tomar o “controle” de nossas vidas em nossas mãos, fazendo os planos e tentando executá-los. Acontece que, se entregarmos tudo nas mão do SENHOR, então nossos pensamentos serão estabelecidos, nosso caminho será de retidão e cumpriremos o chamado que o SENHOR tem para nós. O nosso papel é a total e rendição a Deus.

Em resumo, o que aprendo em Provérbios 16 é que devo entregar toda a minha vida, todos os meus planos e sonhos nas mãos do Senhor. Assim viverei a vontade dele para minha vida.

Paz.

8 comentários em “Estudo sobre Provérbios 16”

  1. Gratidão!!!!! Estou muito feliz pela explicação dos provérbios já faz um tempo que estou lendo mas tem palavras que não entendo peço pra continuar …. Obrigada

    Responder
  2. Olá, bom dia. Graça e paz seja com vocês. Meu nome é Ana. Comecei esse ano a leitura de provérbios e estou adorando suas explicações lá no YouTube. Vi que vc começou um estudo de João, assim que eu terminar esse, quero começar a estudar João. Acho lindo esse evangelho. Mas eu tenho uma dúvida a respeito de uma palavra que Jesus falou na oração que Ele fez.

    Em João 17:25 Jesus disse que “o mundo ñ conheceu a Deus”, daí me fizeram uma pergunta que ñ soube responder, alguém falou que todas as pessoas do A.T. não conheciam Deus, nem os profetas, até a chegada de Jesus. Se eu estou dizendo que era Deus quem falava com Moisés, por exemplo, como eu explico essa afirmação de Jesus. Fiquei triste pois a pessoa disse que Jesus estava mentindo ao dizer que o mundo ñ conheceu Deus, e eu afirmando que todos conheciam a Deus, mas algumas pessoas recusaram, por isso Deus mandou Jesus. Existe alguma explicação? Me ajuda, por favor.
    Deus abençoe muito sua vida, sua família e principalmente seu canal, que é maravilhoso.

    Responder
    • Olá Ana, glória a Deus. Muito obrigado pelo comentário.

      Sobre o verso em questão:

      “Pai justo, o mundo não te conheceu; mas eu te conheci, e estes conheceram que tu me enviaste a mim.” (João 17:25)

      O que Jesus estava dizendo era que as pessoas não conheciam a Deus tão profundamente, não haviam tido um revelação clara como a dele sobre o Pai. Note que Jesus está se comparando com o restante do mundo e Ele certamente pode dizer que nós não conhecemos a Deus [como Ele conhece].

      Se realmente tivessemos o mesmo nível de conhecimento de Deus que Jesus tem, as nossas vidas seriam outras. Certamente agiríamos, pensaríamos e viveríamos de uma maneira muito mais voltada para a vontade do Pai.

      Todos nós conhecemos a Deus em algum nível. As pessoas do Velho Testamento conheceram a Deus em algum nível. Adão e Eva certamente conheceram a Deus em algum nível, mas nenhuma destas pessoas conheceu ao Pai como Jesus conhece. Ele e o Pai são um. Ele tem toda a razão em dizer que “o mundo não O conheceu”.

      Faz sentido para você?

      Agora, um ponto importante é que algumas pessoas não vão se convencer com argumentos ou teologia. Só o Espírito Santo é capaz de quebrantar corações endurecidos. Minha sugestão é que você continue buscando conhecimento, explique isso para a pessoa mas, sinceramente, ore por ela. O melhor que você pode fazer é isso. Como eu disse, nossos argumentos não convencem ninguém, isso é obra do Espírito Santo.

      O que você acha?

      Paz.

      Responder
  3. Conheci esse blog pelo YouTube. É como é edificante compreender os provérbios. Estou na semana de Devocional e tem me ajudado bastante. Obrigada, Deus abençoe.

    Responder

Deixe um comentário