Estudo de Provérbios 21

Continuando nosso estudo sobre o livro de Provérbios, chegamos no capítulo 21. Estamos chegando ao final do Provérbios de Salomão.

Neste capítulo ainda temos a mesma estrutura: diversos provérbios isolados com ensinamentos diversos. Vou destacar alguns que chamam bastante a atenção.

“Quando o escarnecedor é castigado, o simples torna-se sábio; e o sábio quando é instruído recebe o conhecimento.”

Provérbios 21:11

Eu acredito que existem várias formas de aprendermos as coisas. Uma delas é a descrita nesse versículo: podemos aprender vendo os erros das outras pessoas.

Falando por mim, eu sempre descobri que algumas coisas não eram aceitáveis vendo as vezes em que minha irmã mais velha ficava de castigo. Ver os pequenos deslizes dela me ensinava e evitou que eu recebesse os mesmos castigos. Salomão está falando algo similar aqui neste provérbio.

Posso inclusive deixar o escopo desse entendimento mais abrangente e dizer que podemos, e devemos, aprender com os exemplos que vemos na bíblia de pessoas que fizeram algo de errado. Lembre-se de um personagem bíblico que fez algo errado. O que você aprende com ele? Pratique esse aprendizado em sua vida.

Não sei em quem você pensou mas, por exemplo, caso você tenha pensado em Jonas, que fugiu do chamado do SENHOR, podemos aprender que devemos ser fieis a Deus e obedecer em todo o tempo. A reflexão que devemos tirar para nós então é: em quais momentos eu não tenho sido obediente? O que preciso mudar em minha vida?

Se você pensou, por exemplo, em Pedro, que negou Jesus 3 vezes, o que você aprende com isso? Como pode aplicar isso em sua vida e tornar o ensinamento em prática. Certamente você pode aprender muito com diversos exemplos bíblicos.

“O que tapa o seu ouvido ao clamor do pobre, ele mesmo também clamará e não será ouvido.”

Provérbios 21:13

Esse provérbio é algo extremamente pesado e duro de ouvir, porém verdadeiro.

Salomão está nos ensinando que não podemos ignorar que existem pessoas em condições não tão favoráveis quanto as nossas e que precisamos ajudá-las sempre que possível. Algumas vezes seremos nós que receberemos ajuda e outras vezes seremos quem ajuda.

O que não podemos fazer, sob o risco de termos os nossos clamores não ouvidos, é deixar de olhar para essas pessoas, ignorar que elas existem ou que têm necessidades.

Num geral, o que vejo, é que somos muito rápidos em julgar as pessoas e muito tardios em estender a mão para ajudar. Nós encontramos esse mesmo ensinamento algumas vezes na Palavra, como no caso do bom samaritano, em, Tiago 2:14 e tantos outros textos.

“É melhor morar num canto de telhado do que ter como companheira em casa ampla uma mulher briguenta.”

Provérbios 21:9

Este versículo acima está totalmente relacionado com o 19:

“É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e irritadiça.”

Provérbios 21:19

Salomão teve muitas, MUITAS, esposas. Se tem alguém que pode falar sobre esse assunto, era o Rei Salomão. Agora, o que mais me chama a atenção neste texto hoje é como os homens o interpretam, olhando apenas para as falhas das suas esposas.

Eu já disse e não vou cansar de repetir até que todo mundo tenha ouvido isso: aplique o que você aprende na Bíblia para a SUA vida, e não para a vida das outras pessoas. É muito fácil para um homem ler esse texto e encontrar uma série de desculpas para culpar a esposa, apontar o dedo ou fazer comentários inadequados.

O que dizer então de morar com um homem briguento, irritadiço ou rixoso? Não posso assegurar isso, mas acredito que seja igualmente difícil. O ensinamento que eu extraio daqui desse texto é que não posso olhar para a bíblia procurando textos para aplicar na vida dos outros, deve orar e pedir a direção do Espírito Santo para que tudo o que eu leia possa ser aplicado na minha vida.

“Não há sabedoria, nem inteligência, nem conselho contra o Senhor.”

Provérbios 21:30

Não posso deixar esse capítulo passar sem falar sobre o versículo 30. Nele Salomão adora a Deus lembrando que, apesar da importância da sabedoria, dos conselhos que devemos buscar, nada disso é maior ou mais importante que o SENHOR.

Matthey Henry tem um comentário muito interessante em relação a esse texto, que é o seguinte:

“Os meios devem ser usados; porém, depois de tudo, nossa segurança e salvação vêm somente do Senhor. Em nossa guerra espiritual, devemos nos armar com toda a armadura de Deus, mas nossa fortaleza deve estar no Senhor e no poder de sua força.”

Comentário bíblico Matthew Henry

A nossa fortaleza é o SENHOR, Ele é a fonta da nossa sabedoria, do conhecimento, da nossa inteligência. Tudo o que Salomão nos ensina é precioso, existe profunda importância em seus escritos, mas nada disso é maior que o Deus que servimos.

E aí, quais foram os textos que chamaram a sua atenção nesse capítulo? Deixe o seu comentário dizendo quais foram e quais reflexões você extraiu deles!

Paz.

Deixe um comentário