Estudo do livro de Salmos – Salmos 2

Assim como o primeiro Salmo, o segundo também não tem autoria definida. Como eu disse anteriormente, é por isso que algumas pessoas não colocam estes dois primeiros salmos como fazendo parte da primeira parte do livro de Salmos. Outras pessoas admitem que este Salmo também tenha sido escrito por Davi, baseados no que está escrito em Atos 4, nos versículos 24 a 26.

Neste segundo capítulo temos uma divisão de 4 partes:

  • A voz do homem (1 a 3)
  • A voz do Pai (4 a 6)
  • A voz do Filho (7 a 9)
  • A voz do Espírito (10 a 12)

Note que esta divisão é baseada numa interpretação minha, por isso, submeta esse entendimento ao Espírito Santo. Outras pessoas dividem o Salmo 2 em três partes, não em 4.

Independente da divisão que você entenda ser a mais correta, isso não vai afetar o nosso entendimento geral dos aprendizados que podemos ter. Veremos alguns destes pontos no estudo de hoje.

A voz do homem

Os três primeiros versículos são um clamor da humanidade caída contra o Senhor:

Se ins

“Por que se amotinam as nações, e os povos imaginam coisas vãs? Os reis da terra se levantam, e os príncipes juntos se mancomunam contra o Senhor e contra o seu ungido, dizendo: Rompamos as suas ataduras e sacudamos de nós as suas cordas.”

Salmos 2:1-3

Esta é a realidade do mundo e se relaciona com outros textos e passagens da história do povo de Israel. O mundo não quer ser governado por Deus. As pessoas acreditam que na independência de Deus serão livres, poderão viver a vida como bem entenderem.

A realidade é que nós estamos ligados a Deus ou estamos ligados às trevas. Não existe meio do caminho ou alternativa. Vemos isso na história da humanidade ao longo do tempo: quando os povos se afastam do Senhor, inevitavelmente, caminham nas trevas.

Esse clamor é um aviso para nós, de que devemos nos submeter ao senhorio de Cristo.

A voz do Pai

Após isso temos a voz do Pai, que responde à humanidade da seguinte maneira:

“Aquele que habita nos céus se rirá; o Senhor zombará deles. Então, lhes falará na sua ira e no seu furor os confundirá. Eu, porém, ungi o meu Rei sobre o meu santo monte Sião.”

Salmos 2:4-6

Deus, sendo todo-poderoso, não se surpreende, nem se abala, com a revolta da criatura. Ele, sendo O Criador, sabe que a revolta da humanidade os leva à própria destruição.

Por isso lemos que “o Senhor zombará deles”. Isso não está dizendo que Deus fará isso com prazer, ou que Ele deseja isso, apenas que é o resultado óbvio desse tipo de atitude dos seres humanos.

A voz do Filho

Então vemos a voz do filho, dizendo:

“Recitarei o decreto: O Senhor me disse: Tu és meu Filho; eu hoje te gerei. Pede-me, e eu te darei as nações por herança e os confins da terra por tua possessão. Tu os esmigalharás com uma vara de ferro; tu os despedaçarás como a um vaso de oleiro.”

Salmos 2:7-9

Aprendemos aqui que o Pai escolheu o Filho unigênito para ser Senhor sobre a Terra e trazer juízo. Não o juízo no sentido que muitas pessoas estão acostumadas a pensar, mas sim no sentido de que Ele mostra o caminho correto, chama todas as pessoas para este caminho e, como consequência, condenação para as que não aceitarem.

Lemos algo relacionado em João 9:

“E disse-lhe Jesus: Eu vim a este mundo para juízo, a fim de que os que não veem vejam e os que veem sejam cegos.”

João 9:39

Este texto do Salmo 2 é referenciado em Atos 13:33, nos comprovando que, já em Atos o livro de Salmos estava compilado nessa ordem. O mesmo texto é referenciado também em Hebreus 1:5 e 5:5.

A voz do Espírito

Por fim, aqui no Salmo 2, vemos também a voz do Espírito, que diz:

“Agora, pois, ó reis, sede prudentes; deixai-vos instruir, juízes da terra. Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos com tremor. Beijai o Filho, para que se não ire, e pereçais no caminho, quando em breve se inflamar a sua ira. Bem-aventurados todos aqueles que nele confiam.”

Salmos 2:10-12

A voz instrutora do Espírito deixa claro qual é o caminho que nós devemos seguir. De maneira direta, somos ensinados a sermos prudentes, a mesma instrução que vemos diversas vezes em Provérbios. Nessa poesia, a voz do Espírito nos diz que devemos seguir a Cristo paar que não soframos com a ira de Deus quando ela se manifestar.

O primeiro Salmo começa com uma bem-aveturança e o segundo Salmo termina com uma bem-aventurança, fechando assim uma introdução ao livro de Salmos. Novamente, este é um outro motivo pelo qual algumas pessoas colocam os dois primeiros salmos fora do primeiro livro.

Desafios do capítulo

Para este capítulo, tenho alguns desafios para você:

  1. Decorar este versíiculo: “Servi ao Senhor com temor e alegrai-vos com tremor.” (Salmos 2:11)
  2. Deixar um comentário respondendo à pergunta: como você aplica esse ensinamento do segundo Salmo à sua vida?
  3. Se inscrever em nosso canal do Youtube!

Deixe um comentário