Estudo do livro de Salmos – Salmo 149

O salmo 149 também faz parte dos salmos de conclusão do livro. Este salmo apresenta alguns desafios de interpretação: não sabemos de quem é a autoria, em qual momento foi escrito nem temos uma estrutura poética muito clara. De qualquer forma, certamente, nos traz muitos ensinamentos.

Um ponto interessante sobre este salmo é que muitos estudiosos fogem dos comentários sobre ele. Estudei e vi que algumas destas pessoas, para falarem do salmo 149, falam muito mais de outros textos da Palavra do que do próprio salmo em questão.

Não precisamos nos assustar diante de um texto bíblico que parece ser mais difícil de entender, nem fugir dele. Textos como estes são extremamente importantes para que nós nos lembremos que dependemos do Espírito Santo para entender a Palavra, afinal, Ele é a inspiração de todos estes textos.

A alegria que temos no Senhor

O salmo 149 começa nos dizendo que devemos nos alegrar no Senhor:

“Louvai ao Senhor! Cantai ao Senhor um cântico novo e o seu louvor, na congregação dos santos.
Alegre-se Israel naquele que o fez, regozijem-se os filhos de Sião no seu Rei.”

Salmos 149:1,2

A nossa alegria não está nas coisas do mundo, não está no dinheiro ou nas nossas conquistas. A nossa alegria é o Senhor. O prazer temporário que temos naquilo que o mundo oferece jamais vai se comparar com a verdadeira alegria que temos em Deus.

Enquanto buscarmos alegria em outras pessoas, nos prazeres transitórios, no trabalho ou nos nossos hobbies, não seremos plenamente felizes. Quem já experimentou entende a diferença da alegria que temos no Senhor e da false alegria que temos em qualquer outro lugar.

Note que não estou dizendo que não vamos nos alegrar com nossa família, com nossos amigos ou com algo que o dinheiro compra. Certamente teremos pequenas alegrias. O que quero dizer é que a verdadeira fonte de uma alegria verdadeira e duradoura, é apenas o Senhor. Todo o resto se resume a momentos passageiros.

A relação com o Salmo 148

Um outro ponto que me chama a atenção é a aparente relação do versículo 2 do salmo 149 com o versículo 11 do Salmos 148:

“Alegre-se Israel naquele que o fez, regozijem-se os filhos de Sião no seu Rei.”

Salmos 149:2

“reis da terra e todas as nações, todos os governantes e juízes da terra,”

Salmos 148:11

No salmo 148 vemos que os reis da terra devem louvar ao Senhor. No salmo 149 vemos que o nosso verdadeiro Rei é o Senhor.

Nós fazemos parte de um reino que não é terreno, mas espiritual. Um reino que não se limita às regiões específicas de um governo terreno, mas que compreende todas as pessoas que se submetem ao reinado do Senhor, onde quer que elas estejam.

Servimos a um reino celestial, nossa verdadeira identidade está no Senhor e não na nação onde vivemos. Quando entendemos isso, passamos a servir ao Senhor com muito mais diligência, em honra e temor.

A parte profética do Salmo 149

Existe ainda, na minha interpretação, uma parte profética no salmo 149, que são os versos 6 a 9:

“Estejam na sua garganta os altos louvores de Deus e espada de dois fios, nas suas mãos, para tomarem vingança das nações e darem repreensões aos povos, para prenderem os seus reis com cadeias e os seus nobres, com grilhões de ferro; para fazerem neles o juízo escrito; esta honra, tê-la-ão todos os santos. Louvai ao Senhor!”

Salmos 149:6-9

Não creio que isso vá acontecer de maneira literal hoje. Creio que é um texto poético e profético, que fala sobre a volta de Cristo, sobre o juízo que virá sobre aquelas pessoas que não aceitarem o chamado do Senhor.

O salmista ainda nos diz que todos os santos terão esta honra, mas começa essa parte do texto nos avisando que os altos louvores de Deus precisam estar na nossa garganta e a espada de fios em nossas mãos. O enfoque, na minha opinião, não está em como os santos participarão disso tudo, mas sim em como nos mantemos, como permanecemos entre os santos: com louvores e com a Palavra.

A parte prática para nossas vidas é essa: precisamos nos manter firmes, louvando ao Senhor em todo o tempo e meditando na Sua Palavra, na dependência do Espírito. Então, na volta de Cristo, seremos contados entre os santos.

Lembre-se: esta é apenas a minha interpretação sobre um texto que é complexo. Por isso, mais do que nunca, dependa do Espírito na interpretação deste Salmo.

Desafios do capítulo

Responda às perguntas abaixo deixando um comentário aqui:

  1. Qual é a sua interpretação deste salmo?
  2. Qual outro texto você acha que é difícil de interpretar na Palavra?
  3. Ore hoje para que Deus lhe dê, cada dia mais, sabedoria para entender a Palavra.

Paz.

Deixe um comentário