Estudo de êxodo 23

Em Êxodo 23 vemos Deus entregando mais algumas direções para o povo. Estas direções eram mais princípios gerais do que leis.

O capítulo apresenta os seguintes assuntos:

  • Advertências em relação ao falso testemunho (1 a 3)
  • Advertências em relação à injustiça (4 a 9)
  • Advertências em relação ao sábado (10 a 13)
  • Orientações sobre as festividades (14 a 19)
  • Explicações a respeito da terra prometida (20 a 33)

Veremos alguns destes pontos em detalhes.

Advertências em relação ao falso testemunho

O capítulo começa como uma continuação do texto de Êxodo 22. Aqui vemos algumas advertências em relação à mentira:

“Não admitirás falso rumor e não porás a tua mão com o ímpio, para seres testemunha falsa. Não seguirás a multidão para fazeres o mal; nem numa demanda falarás, tomando parte com o maior número para torcer o direito.”

Êxodo 23:1,2

Como um reforço da lei moral, que dizia, “Não darás falso testemunho”, Deus dá alguns exemplos mais práticos sobre esse princípio.

A ideia aqui é simples, é justamente reforçar a importância de que o povo de Deus seja honesto, falando sempre a verdade.

Como povo santo, separado para o Senhor, Israel deveria ser diferente dos outros povos. Se os outros povos tinham por prática a mentira, o povo do Senhor não deveria aceitar isso em seu meio. A mesma coisa vale para nós: não podemos mentir, não podemos aceitar a mentira no nosso meio.

Nota como Deus pede que o povo tenha cuidado para não ser levado pela multidão: “nem numa demanda falarás, tomando parte com o maior número para torcer o direito”. Mesmo que todas as pessoas estejam caminhando para a mentira, precisamos nos manter firmes à verdade, sem falhar.

Advertências em relação à injustiça

Após isso, Deus fala sobre como o Seu povo deveria se guardar de praticar a injustiça, mesmo que aquilo fosse ferir seu orgulho ou fosse contra o seu desejo. Veja o exemplo que o Senhor dá para o povo:

“Se encontrares o boi do teu inimigo ou o seu jumento, desgarrado, sem falta lho reconduzirás.”

Êxodo 23:4

Mesmo que o povo encontrasse um boi perdido, caído por conta do fardo, mas fosse um boi do seu inimigo, ainda assim deveria devolvê-lo “sem falta”.

Deus também fala sobre os favorecimentos nas demandas e julgamentos. Veja os versos 3 e 8:

“Nem ao pobre favorecerás na sua demanda. Também presente não tomarás; porque o presente cega os que têm vista e perverte as palavras dos justos.”

Êxodo 23:3,8

O povo não deveria favorecer injustamente o pobre e nem aceitar subornos dos ricos para que fossem injustos. Os julgamentos deveriam ser justos, para qualquer pessoa.

Aqui vale lembrar que o povo de Israel estava saindo do Egito, uma sociedade que claramente tinha esses problemas de injustiça. Era necessário que eles entendessem que estavam começando a viver um novo padrão, uma nova vida.

No final das contas, estes dois primeiros pontos são reforços para a parte da lei moral que fala sobre o “amor ao próximo”. São detalhamentos do resumo que Jesus vai fazer lá no Novo Testamento.

Outros deuses

Deus também reforça a questão de que eles não deveriam adorar outros deuses, mais um ponto que foi previsto na lei moral e que está relacionado ao grupo de leis que falam sobre o “amor a Deus acima de todas as coisas”.

“E, em tudo que vos tenho dito, guardai-vos; e do nome de outros deuses nem vos lembreis, nem se ouça da vossa boca.”

Êxodo 23:13

“Não te inclinarás diante dos seus deuses, nem os servirás, nem farás conforme as suas obras; antes, os destruirás totalmente e quebrarás de todo as suas estátuas.”

Êxodo 23:24

“Não farás concerto algum com eles ou com os seus deuses. Na tua terra não habitarão, para que não te façam pecar contra mim; se servires aos seus deuses, certamente será um laço para ti.”

Êxodo 23:32,33

Note que Deus estava retirando o povo do meio de uma nação idólatra e preparando-o para habitar num lugar que era, naquele momento, habitado por povos idólatras. Era necessário que essas advertências fossem reforçadas e que a consequência começasse a ser apresentada. Nesse caso Deus diz: “certamente será um laço para ti”.

Não podemos ter nada em nossas vidas que estejam acima do Senhor. Para isso precisamos conhecê-lo, saber o que o agrada e o que o desagrada, entender quais são seus desejos, sua vontade e o que Ele pede que nós façamos.

A terra prometida

Por fim, Deus fala sobre a terra prometida e como seria a transição para ela. Deus avisa ao povo que os habitantes da terra prometida seriam expulsos por Ele:

“Porque o meu Anjo irá diante de ti e te levará aos amorreus, e aos heteus, e aos ferezeus, e aos cananeus, e aos heveus, e aos jebuseus; e eu os destruirei.”

Êxodo 23:23

Ou seja, a terra estava habitada, existiam outros povos lá e era necessário que o povo soubesse que o livramento viria do Senhor. Além disso Deus promete muitas bençãos caso o povo o obedecesse:

“E servireis ao Senhor, vosso Deus, e ele abençoará o vosso pão e a vossa água; e eu tirarei do meio de ti as enfermidades. Não haverá alguma que aborte, nem estéril na tua terra; o número dos teus dias cumprirei. Enviarei o meu terror diante de ti, desconcertando a todo o povo aonde entrares, e farei que todos os teus inimigos te virem as costas.”

Êxodo 23:25-27

Nós somos abençoados quando servimos diligentemente ao Senhor. Pode até ser que não seja como esperamos, pode ser que passemos por problemas, mas temos a certeza de que Deus está conosco e vai nos abençoar. Veja como Deus atrela estas bençãos ao posicionamento do povo:

“Mas, se diligentemente ouvires a sua voz e fizeres tudo o que eu disser, então, serei inimigo dos teus inimigos e adversário dos teus adversários.”

Êxodo 23:22

Era necessário que o povo obedecesse e seguisse os estatutos do Senhor para que fossem abençoados. Sem obediência, a benção não estaria no caminho deles.

❗ Você sabia? ❗


Existem formas de você aprender ainda mais sobre a palavra:

Deixe um comentário