Sobre as injustiças que sofremos

Pois que glória há, se, pecando e sendo esbofeteados por isso, o suportais com paciência? Se, entretanto, quando praticais o bem, sois igualmente afligidos e o suportais com paciência, isto é grato a Deus.” (1 Pedro 2:20)

Eu tenho uma série de defeitos, quem acompanha o blog já deve saber. Um deles é que luto bastante contra o meu senso de justiça. Tenho uma batalha interna para matar a minha vontade e deixar de lado a minha ideia do que é justo ou não.

Mas, o que posso falar depois destas palavras de Pedro? Como ainda ter algum tipo de justiça própria depois disto?

Normalmente julgamos as pessoas e as situações. Quando somos afligidos queremos logo nos justificar, mostrando o quão corretos somos. Não estamos acostumados e somos ensinados a não aceitar injustiças.

Exatamente o contrário do que aconteceu com Cristo na cruz, onde Ele tomou sobre si todos os pecados que não eram dEle e se fez culpado em nosso lugar. Que justiça há nisso?

Se somos cristãos, se queremos imitar a Cristo em tudo o que fazemos, por qual motivo não aceitamos nenhuma injustiça contra nós mesmos? Por qual motivo nos justificamos tanto?

Paz.

Deixe um comentário