Cruz na montanha

Jesus, Deus e homem

E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai.” (João 1:14)

Continuando a saga sobre Jesus, hoje quero falar sobre Jesus como o homem, aquele que veio e habitou entre nós. 

Anteriormente falei de maneira breve sobre como Ele é Deus, mas precisamos entender que Ele se fez homem, e o quão importante foi isso.

Jesus, sendo Deus e habitando com o Pai desde o princípio abre mão de sua glória e de seus atributos divinos, sem deixar de ser Deus, e se faz homem.

Ele veio, existiu, tocou nas pessoas e as pessoas tocaram nEle. Ele foi um homem como eu e você. Sujeito aos mesmos problemas, tentações e limitações.

Este ato foi a forma que Deus encontrou para identificar-se com o homem, com seus dilemas, tentações e problemas.

Porém, claramente este não foi o único, nem tampouco o principal, propósito que fez com que Deus enviasse Jesus para a Terra como homem. Mas este assunto só vai ser tratado quando falarmos da morte de Cristo na cruz.

Por enquanto o importante é sempre lembrar-se que Jesus abre mão de seus atributos divinos para que pudesse se identificar com o homem.

Paz.

Escrito ao som de: André Valadão.

Deixe um comentário