Mensagem

Perdão e a outra face

Mulher orando com a bíblia
André
Escrito por André

Estes dias estávamos compartilhando sobre o perdão numa aula na igreja. O que aprendemos na Palavra é que devemos perdoar, independentemente da situação.

“E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se vós não perdoardes, também vosso Pai, que está nos céus, vos não perdoará as vossas ofensas.” (Marcos 11:25,26)

Refletindo em textos como esse, rapidamente entendemos que o perdão não é algo que podemos decidir não fazer, é um mandamento do SENHOR para nós.

Ainda pensando nisso, perguntei para os alunos o que deveríamos fazer ao perdoar alguém que, por exemplo, nos roubou.

A maioria deles respondeu que deveríamos continuar tratando a pessoa da mesma forma, que isso não deveria abalar nosso relacionamento com a pessoa e que tudo deveria ser como sempre foi, uma vez que perdoamos.

Existe até uma passagem que corrobora isso, nos lembramos dela:

“Eu, porém, vos digo que não resistais ao mau; mas, se qualquer te bater na face direita, oferece-lhe também a outra; E, ao que quiser pleitear contigo, e tirar-te a túnica, larga-lhe também a capa;” (Mateus 5:39,40)

Dado que o grupo estava com esta ideia, de que sempre devemos perdoar e viver a vida como se nada tivesse acontecido, fiz mais uma provocação: “O que falamos sobre isso com uma mulher que apanha constantemente do marido, de maneira cada vez mais agressiva? Será que deveríamos ter a mesma regra?”

Com esse questionamento, o grupo ficou em dúvidas e se dividiu: alguns acreditavam que a tal pessoa deveria continuar dando a outra face, outros apelaram para a justiça, alguns tinham outras opiniões.

Note como é complicado olharmos para um texto isolado e criarmos uma regra. Regras que se aplicam para todos, num geral, não são algo muito boas. Se isolarmos o texto de Mateus 5, acreditaríamos que a mulher deveria continuar se sujeitando a um marido opressor e agressivo.

É importante notarmos que não foi isso que Jesus disse nesse texto. Mas nem precisamos refletir muito sobre isso se olharmos para a bíblia como um todo. Paulo instrui Timóteo de maneira muito peculiar:

“Alexandre, o latoeiro, causou-me muitos males; o Senhor lhe pague segundo as suas obras. Tu, guarda-te também dele, porque resistiu muito às nossas palavras.” (2 Timóteo 4:14,15)

Paulo estava pedindo que Timóteo tivesse cuidado com Alexandre, dado o que este havia feito no passado. Será que Paulo não estava dando a outra face e descumprindo um mandamento do SENHOR? Paulo, o apóstolo que evangelizou boa parte do oriente, seria um herege?

Claro que não. O que aconteceu é que Paulo entendeu o Cristo disse com “dar a outra face”, ele entendeu a mensagem completa, e não apenas a parte.

O ponto é que o perdão é uma obrigação do cristão, isso é indiscutível. Porém, o que fazemos depois do perdão é muito contextual. O que Jesus quis dizer com “dar a outra face” era que não deveríamos mais viver segundo a lei, que buscava pagar um mal com outro mal equivalente. Ele não quis dizer que deveríamos viver sofrendo o dano, mas sim que não deveríamos pagar um mal com outro mal. Paulo entendeu isso perfeitamente.

Logo, essa mulher que apanha, deve perdoar o marido, mas isso não significa que precisa ficar apanhando para o resto da vida. Existem muitas coisas que ela pode fazer para se guardar e não permitir que isso aconteça novamente.

Que o Espírito Santo nos guie nessa jornada de perdão e entendimento do que é dar a outra face.

Paz.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário

Quer saber antes de todo mundo o que acontece no JC na Veia?
Assine nossa newsletter
Essa é uma lista exclusiva, poucas pessoas permanecem nela e oferecemos o melhor para nossos assinantes, conteúdo exclusivo e novidades em primeira mão.
Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.
close-link