Bíblia aberta com caneta

Estudo de Provérbios 18

O capítulo 18 de Provérbios é um capítulo complexo de receber um comentário. Mesmo analisando outros comentários bíblicos famosos, os seus autores não chegaram à conclusão sobre um tema principal do capítulo.

Nós já sabemos isso, pois sabemos que este trecho do livro de Provérbios é justamente essa coletânea de pequenos textos que, muitas vezes, não se conectam.

Por isso resolvi olhar para os dois textos mais famosos deste capítulo. Para saber quais eram os textos mais famosos, utilizei uma análise de quantas vezes cada um deles aparece na internet. Quem faz essa análise é o site topverses.com (em inglês).

Além disso também faço um comentário sobre o que me chamou mais a atenção neste capítulo.

A morte e a vida na língua

“A morte e a vida estão no poder da língua; e aquele que a ama comerá do seu fruto.”

Provérbios 18:21

Este é o versículo mais famoso desse capítulo e é usado em conjunto com muito do que lemos em Provérbios, principalmente nos escritos por Salomão. Veja por exemplo o que lemos no capítulo 17:

“Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido.”

Provérbios 17:28

Este texto conversa diretamente com todo o livro de Tiago, em textos como:

“Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus. De uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.”

Tiago 3:9,10

No resumo o ensinamento que temos aqui é o mesmo que vemos ao longo de toda a Palavra: cuidado com o que você fala. Controle, modere e analise suas palavras, elas têm poder.

O amigo irmão

“O homem de muitos amigos deve mostrar-se amigável, mas há um amigo mais chegado do que um irmão.”

Provérbios 18:24

Salomão tinha essa ideia bem consolidada de que existem amigos que acabam tornando-se como irmãos para nós. São aquelas pessoas que estão conosco em todo o tempo, na alegria e na tristeza.

Esse texto conversa diretamente com o que falamos no estudo de Provérbios 17 quando analisamos o seguinte versículo:

“Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.”

Provérbios 17:1

Nossa confiança

Apesar de não estar entre os versículos mais famosos, algo que me chamou a atenção neste capítulo foi a relação entre os versos 10 e 11:

“Torre forte é o nome do Senhor; a ela correrá o justo, e estará em alto refúgio. Os bens do rico são a sua cidade forte, e como uma muralha na sua imaginação.” Provérbios 18:10,11

Veja como, em ambos, Salomão fala sobre em quem as pessoas confiam. Pelo o que ele escreve, o justo se refugia no Senhor, reconhecendo que é dEle quem vem a nossa salvação.

Já o rico tem em seus bens a sua cidade forte, mas isso é uma ilusão. Veja como Salomão aborda o assunto em Provérbios 11:

“Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem.”

Provérbios 11:28

Uma certeza que ele tinha era que, apesar de ter muito dinheiro, sabia que não era nos seus bens que ele tinha segurança. Nossa segurança vem apenas do SENHOR.

Paz.

Deixe um comentário