Bíblia aberta

Estudo de Provérbios 17

Em Provérbios 17 temos uma série de versículos que são muito interessantes, alguns muito famosos. Olhando para o todo, vejo 2 grandes ensinamentos e um texto sobre o qual precisamos de uma explicação mais detalhada.

Estes dois grandes ensinamentos devem nos levar a reflexões importantes sobre como temos agido em algumas circunstâncias. Minha sugestão é que, antes de meditar neste capítulo, ore, peça a direção do Espírito Santo e eu tenho certeza de que você vai aproveitar a leitura.

Vejamos cada um dos ensinamentos.

Sejamos mansos

Foi somente após reler algumas vezes que notei como Salomão fala diversas vezes sobre os benefícios de sermos pessoas mansas. Note alguns destes versículos:

“É melhor um bocado seco, e com ele a tranqüilidade, do que a casa cheia de iguarias e com desavença.”

Provérbios 17:1

Este capítulo de Provérbios 17 é aberto já falando sobre como é importante a tranquilidade em nossas vidas. Veja outro:

O que escarnece do pobre insulta ao seu Criador, o que se alegra da calamidade não ficará impune.

Provérbios 17:5

Uma pessoa mansa controla a sua língua e não escarnece do pobre. Não se deixa levar pelos desejos pecaminosos e consegue manter o controle de seus sentimentos e impulsos.

Às vezes podemos não nos conectar com um destes versículos específicos, mas temos que fazer a reflexão sobre onde temos deixado a mansidão de lado em nossas vidas.

“Aquele que encobre a transgressão busca a amizade, mas o que revolve o assunto separa os maiores amigos.”

Provérbios 17:9

Aqui me parece que ele está falando sobre as pessoas que não conseguem perdoar, que ficam trazendo de volta antigas desavenças ou assuntos que já deveriam ter sido resolvidos. Novamente, uma pessoa mansa não faz isso.

“Na verdade o rebelde não busca senão o mal; afinal, um mensageiro cruel será enviado contra ele.”

Provérbios 17:11

A rebeldia é outro sinal claro da falta de mansidão. Quando somos rebeldes a Deus, aos nossos pais, às nossas autoridades, estamos demonstrando isso. O que Salomão diz é que essas pessoas buscam o mal para suas próprias vidas.

Veja com que clareza Salomão traz o assunto neste versículo:

“Como o soltar das águas é o início da contenda, assim, antes que sejas envolvido afasta-te da questão.”

Provérbios 17:14

Ele declara com todas as palavras que o melhor é que nos afastemos das contendas, novamente fazendo uma referência à um espírito manso.

Mais uma vez Salomão traz o assunto:

“O que ama a transgressão ama a contenda; o que exalta a sua porta busca a ruína.”

Provérbios 17:19

O apelo que vejo Salomão fazendo com estes provérbios é simples: seja uma pessoa mansa, evite a contenda, afaste-se das desavenças, seja uma pessoa pacificadora.

Outros dois versículos que me chamam a atenção nesse assunto são os seguintes:

“O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito.”

Provérbios 17:27

“Até o tolo, quando se cala, é reputado por sábio; e o que cerra os seus lábios é tido por entendido.”

Provérbios 17:28

Neles vemos que existe sabedoria em falarmos um pouco menos, em sermos mais comedidos em nossas palavras. Particularmente acredito muito que precisamos aprender a ouvir mais e falar menos. Muitas vezes estamos prontos para dar nossas opiniões sem nem mesmo buscarmos entender a opinião de outras pessoas. Isso acaba com o diálogo e com os relacionamentos.

Quando Salomão se refere à pessoa que é “de precioso espírito”, está falando das pessoas mansas, que não se tornam coléricas com facilidade.

Tudo isso está completamente relacionado com o que vemos em Gálatas sobre os frutos do espírito:

“Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.”

Gálatas 5:22

A mansidão é uma marca do cristão. Precisamos ouvir estes conselhos que temos em Provérbios 17.

O poder da amizade

Existe também um versículo muito famoso aqui em Provérbios 17 e muito importante de ser estudado, que é o que fala sobre amizade:

“Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão.”

Provérbios 17:17

Muitas pessoas gostam deste versículo por ele falar de amizade e ser um versículo muito bonito. A reflexão que eu acredito que precisamos fazer aqui é: para quem eu tenho sido como um irmão? Quais são as pessoas que eu tenho amado em suas angústias?

É muito comum olharmos para esse texto pensando em algumas pessoas que nos apoiaram no tempo da angústia. Glória a Deus que colocou estas pessoas em nossas vidas. Porém, e nós? Para quem temos sido como irmãos?

Devemos nos lembrar que no nosso chamado como cristãos precisamos amar o nosso próximo, precisamos chorar com os que choram e nos alegrar com os que se alegram.

Existe uma reflexão importante para fazermos aqui neste texto. É algo que pode nos levar a pensar em como temos sido igreja, nas nossas atitudes dentro do corpo de Cristo ou como família, por exemplo.

Incoerência

Por fim, neste capítulo temos que tomar cuidado com o entendimento parcial do versículo 8:

“O presente é, aos olhos dos que o recebem, como pedra preciosa; para onde quer que se volte servirá de proveito.”

Provérbios 17:8 – ACF

Se você ler na NVI, temos o seguinte:

“O suborno é um recurso fascinante para aquele que o oferece; aonde quer que vá, ele tem sucesso.”

Provérbios 17:8 – NVI

Olhando para esse texto isoladamente, podemos imaginar que Salomão estava aprovando ou dizendo que o suborno é algo aceitável e bom. Porém não podemos deixar de analisar o versículo 23:

“O ímpio toma presentes em secreto para perverter as veredas da justiça.”

Provérbios 17:23

O que entendemos aqui é que os ímpios fazem uso do suborno como ferramenta para proveito próprio, para fazer suas vontades acima da vontade do SENHOR.

O que temos de mais importante aqui é nos lembrarmos que devemos sempre analisar a Palavra como um todo para não cometermos erros de interpretação. É importante, sempre que pudermos, buscar outros textos na Palavra que apoiam ou se relacionam com o que estamos lendo.

Paz.

Deixe um comentário