Mensagem

Encontros com o inimigo

O tema que escolhi para o presente artigo pode parecer abominável para muitas pessoas. Todos gostam de ouvir falar a respeito de coisas boas, sobre Jesus, sobre Deus, e às vezes, fazem de conta que o inimigo, Satanás, não existe. Alguns se recusam até a mencionar tal nome. Entretanto, os autores bíblicos não foram omissos a este respeito. Eles mencionaram o inimigo inúmeras vezes e o apóstolo Paulo chegou a dizer que não ignorava as suas ciladas (2 Coríntios 2:11). Para conhecermos tais artimanhas, precisamos estudá-las a partir daquilo que observamos no dia-a-dia e principalmente com base nos relatos das sagradas escrituras.

E a quem perdoardes alguma coisa, também eu; porque, o que eu também perdoei, se é que tenho perdoado, por amor de vós o fiz na presença de Cristo; para que não sejamos vencidos por Satanás;
Porque não ignoramos os seus ardis. (2 Coríntios 2:10,11)

Você pode viver tentando ignorar a pessoa do diabo e de seus anjos caídos. Contudo, um dia você terá um encontro com ele, se é que ainda não teve. Afinal, somos o exército de Deus. Sempre cantamos isso em nossos hinos. Cada um de nós é um soldado, e pra quê serviria um soldado de Cristo se nunca acontecesse esse tão terrível encontro com o inimigo. O exército de Cristo não existe com o objetivo de fazer desfiles em praça pública; nem tampouco somos chamados para a realização de guerras eletrônicas ou por mísseis de grande alcance, quando o inimigo nem sequer é visto.

Vejamos dois exemplos de encontros com o inimigo de acordo com os relatos bíblicos: Eva encontrou-se com ele no jardim do Éden e foi derrotada (Gênesis 3). Jesus encontrou-se com o Diabo no deserto e saiu vitorioso (Mateus 4).

Na maioria das vezes, o encontro com o inimigo se dará no momento da tentação. É hora do teste. Depois de tantos encontros com Deus no jardim, Eva precisou fazer um teste com o adversário. Teria ela assimilado bem as palavras de Deus? Estaria preparada para passar a uma nova fase de sua vida espiritual? Essas perguntas só seriam respondidas mediante o resultado do encontro com o inimigo.

Tendo em mente essa linha de raciocínio, entendemos porque muitas pessoas, depois de passarem anos dentro da igreja, se desviam, abandonam o evangelho. Certamente, tiveram um encontro com o Diabo e foram por ele vencidas. Muitas vezes acontece com jovens que cresceram recebendo os ensinamentos do evangelho e um dia abandonaram tudo. Certamente, tiveram um encontro com o inimigo e foram levados pelo engano do pecado. Se você já enfrentou o mal e venceu, não relaxe, outros encontros virão. Se você foi derrubado, não desanime. A guerra não acabou. Retorne à sua posição, recarregue suas armas e prossiga.

Um dos fatores que dificultam a situação é o disfarce do maligno. Ele vem com uma aparência atraente. Não com chifres e rabo, mas com um aspecto agradável. Então, nesse momento, muitos soldados põem as armas no chão e lhe dão as boas vindas. Assim aconteceu com Josué, quando recebeu os gibeonitas, os quais se apresentaram como se fossem amigos, quando, de fato, não eram.

Poderíamos perguntar: Por quê Deus não nos livra desse tipo de experiência? Nem o próprio Jesus escapou dela. Deus não nos livra desse confronto, ele nos alerta a respeito dele. Cabe a cada um de nós o preparo. E como isso acontece? Através do jejum, da oração, da comunhão com os irmãos e pelo conhecimento da palavra de Deus. Jesus teve um confronto com o inimigo e o venceu porque estava cheio do Espírito Santo e cheio da Palavra. Sem essas armas, seremos apenas mais algumas vítimas para as contas do maligno.

Portanto, prepara-te. Cada um de nós deve se preparar. Nossa guerra não é de brincadeira. Vida cristã não é videogame, é luta de verdade.

Não quero, amanhã ou depois, receber a notícia de que você, meu amado companheiro de batalha, caiu diante do inimigo.

Que o Senhor nos ajude. O encontro é inevitável e até mesmo necessário. Podemos até sofrer algum pequeno dano, mas não podemos perecer no campo da peleja. E ainda que o mal nos fira o calcanhar, esta será a sua última reação antes de ter a sua cabeça esmagada pelo Corpo de Cristo, que é a igreja (Romanos 16:20).

Autor original: Anísio Renato de Andrade – Bacharel em Teologia. Exrtaído de seu site pessoal.

Sobre o autor

André

André

Cristão, casado, pai, trabalhador. Leva a sério a palavra de Deus e isto muitas vezes o faz não ser bem visto. Ama escrever, por isso, sempre que pode, o faz.

Deixe um comentário