Devemos amar a correção

“Mas ao ímpio diz Deus: Que fazes tu em recitar os meus estatutos, e em tomar a minha aliança na tua boca? Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti. Quando vês o ladrão, consentes com ele, e tens a tua parte com adúlteros. Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano. Assentas-te a falar contra teu irmão; falas mal contra o filho de tua mãe. Estas coisas tens feito, e eu me calei; pensavas que era tal como tu, mas eu te argüirei, e as porei por ordem diante dos teus olhos: Ouvi pois isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que eu vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre. Aquele que oferece o sacrifício de louvor me glorificará; e àquele que bem ordena o seu caminho eu mostrarei a salvação de Deus.” (Salmos 50:16-23)

Às vezes leio a Palavra e me pego pensando em assuntos tão fundamentais, verdades tão primordiais, que não tenho como parar e meditar profundamente sobre isso.

Uma das verdades que vejo ao longo da Palavra, em vários momentos, é a de que nós não podemos ignorar a correção que o SENHOR está trazendo sobre nossas vidas.

Por isso, a primeira coisa que eu quero que você medite é: qual é a área da sua vida que Deus já te mostrou que você precisa corrigir, mas que você ainda não trabalhou?

Olhando para esse salmo de Asafe, fica claro para nós que precisamos mudar as nossas vidas conforme o SENHOR vai nos moldando:

“Visto que odeias a correção, e lanças as minhas palavras para detrás de ti.” (Salmos 50:17)

Nós recebemos a correção através de diversas fontes: às vezes pela própria Bíblia, ou através de uma ministração, de alguém que vem nos exortar ou até mesmo durante uma oração, onde o Espírito Santo toca as nossas vidas.

O que fazemos após recebermos a correção é que vai determinar a saúde do nosso relacionamento com o Senhor. O próprio Asafe deixou isso claro:

“Ouvi pois isto, vós que vos esqueceis de Deus; para que eu vos não faça em pedaços, sem haver quem vos livre.” (Salmos 50:22)

Porém temos diversos outros textos na Palavra onde somos exortados no mesmo sentido. Vemos isso diversas vezes em Provérbios, por exemplo. Uma delas é: 

“Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de ti os meus mandamentos. Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos. Ata-os aos teus dedos, escreve-os na tábua do teu coração. Dize à sabedoria: Tu és minha irmã; e à prudência chama de tua parenta, para que elas te guardem da mulher alheia, da estranha que lisonjeia com as suas palavras.” (Provérbios 7:1-5)

A mais clara de todas as indicações desta verdade está nas palavras de Jesus:

“Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha. E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.” (Mateus 7:24-27)

É claro que sempre teremos a opção de não obedecer ao SENHOR, de perceber uma área em nossas vidas que precisa de mudança e não fazermos nada para mudar. Essa escolha é nossa. Deus não nos obriga a mudar. Porém temos que estar muito cientes do que estamos fazendo quando escolhemos não mudar algo em nossas vidas, quando optamos por andar nos mesmos velhos caminhos que sempre andamos.

A pergunta permanece a mesma: qual é a área da sua vida que Deus já te mostrou que você precisa corrigir, mas que você ainda não trabalhou?

Paz.

Deixe um comentário