Quem é seu líder para você?

Certa vez fui a um “retiro” organizado por algumas igrejas do Rio de Janeiro e de São Paulo. Foi um evento bem puxado em relação ao que estamos esperando sobre ser igreja!

Tirei algumas experiências de lá. A que mais marcou foi uma situação onde foi falado e exemplificado como líderes (sejam pastores, apóstolos, diáconos, supervisores de células, etc) sofrem com as pressões e as cobranças que recebem dos seus liderados.

Lá aprendi que nós muitas vezes “os colocamos na cruz” por não nos darem a atenção que queremos, por não terem os filhos convertidos como nós gostaríamos que fossem, por não pagarem nossas contas atrasadas, por nos darem tarefas que não gostamos de fazer, enfim, foram diversos exemplos citados naquele evento. O que me fez refletir que, mesmo eu sendo líder, eu também tenho um líder que precisa que eu olhe pra ele com outros olhos. Um líder que não precisa que eu o cobre de nada, que não precisa de julgamentos, e acima de tudo, que eu não leve para ele um fardo que não faz sentido eu levar.

Quando se assume uma liderança, nós já sabemos as responsabilidades que nos aguardam. Nós já temos ciência de que temos que ouvir a Deus e levar seus ensinamentos para todas as pessoas que Ele confiar em nossas mãos. Sim, nós já sabemos e não precisamos de acusação, de dedo apontado ou de julgamentos que são mais pesados do que o fardo que Cristo nos confiou quando nos escolheu para tal função.

Muitos líderes hoje, tem tirado suas vidas, têm sua saúde comprometida, sua mente tomada de cobranças que não deveriam estar ali, e o pior, tem muita alma doente sentindo-se responsável por tudo que os membros descarregam, e que não deveriam descarregar.

– “Mas com isso, você está me falando que eu não deva levar meus problemas para um aconselhamento?”

Não, de forma alguma!

Eu estou falando que aprendi que não devo achar que eles são seres extraterrestres cheios de poderes sobrenaturais pra orar para minha calopsita ser curada e, se ela vier a morrer, ainda colocar a culpa na oração que ele não fez direito!

Parece engraçado, mas já vivemos situações bem próximas a esta exemplo e infelizmente, se não temos um espírito livre, se não estivermos com a mente em Cristo e a alma curada, realmente vamos nos sentir responsáveis pela morte do bichinho.

Seja um liderado (todos nós somos) que ora pelo seu líder, que ame ele mesmo conhecendo os defeitos dele, que dê suporte quando você observar que precisa ou ser tocado pelo Espírito para ajudá-lo.

E não se vanglorie nisso, não há glória em amar o próximo como a você mesmo, é a nossa obrigação!

Deus abençoe sua vida!

Paz!

Deixe um comentário